Sindjus e servidores enfrentam e revertem corte de ponto no TSE

Em assembleia-setorial realizada no dia 14 de agosto, os servidores do TSE decidiram continuar no movimento grevista mesmo com ameaça de corte de ponto. Os servidores do Tribunal participam ativamente da greve desde o início e não recuaram diante da ameaça de retaliação da Administração.

Juntamente com o Sindjus, os servidores buscaram o apoio dos 9 Secretários dos diversos setores do Tribunal. Como resultado, todos eles assinaram um abaixo-assinado em apoio aos servidores que estão na greve. (abaixo assinado) Em pouco tempo, os servidores também buscaram assinaturas em um abaixo-assinado dos colegas que não estão na greve em apoio aos grevistas.

Após a setorial, o Sindjus protocolou um requerimento de criação de uma comissão paritária para tratar da greve. A primeira reunião da Comissão foi realizada no mesmo dia da assembleia setorial. Participaram dessa comissão pela administração a diretora-geral do TSE, Leda Marlene Bandeira, o Secretário Geral da Presidência Carlos Vieira von Adamek, o assessor-chefe da Presidência Sérgio Ricardo dos Santos, e os secretários de TI, Giuseppe Janino, e da Judiciária, Fernando Maciel de Alencastro. Representando os servidores, participaram Inês Amaral, Grace Porto e Luciano Bohnert. Pela Direção do Sindjus, os coordenadores Eugênia Lacerda e Itamar Camilo. Na reunião, foram entregues os abaixo-assinados e houve conversações para que não houvesse o corte de ponto dos servidores.

Após esse trabalho, a Administração decidiu voltar atrás na sua decisão e o pagamento aos servidores foi realizado. Novas reuniões estão acontecendo a fim de garantir o cumprimento dos requisitos legais da greve bem como o direito de greve dos servidores.

Importante registrar que o TSE está na greve desde o início e não houve refluxo nem mesmo com a ameaça de corte de ponto. A reversão do corte de ponto é um sinal de que a união entre os servidores pode conquistar muias vitórias.






🔥9 Total de Visualizações