Assembleia-geral aprova continuidade da greve por tempo indeterminado

Os servidores do Poder Judiciário e do MPU, reunidos em Assembleia-Geral, na tarde desta terça-feira (8/9), aprovaram a continuidade da greve por tempo indeterminado visando à derrubada do Veto 26 e do substitutivo ao PLC 41. Os servidores decidiram intensificar os trabalhos no Congresso e no Aeroporto, bem como a realização de Ato em frente ao Senado, nesta quarta-feira (9/9), com objetivo de lutar pela antecipação da sessão do Congresso Nacional do dia 22.

Os trabalhos foram abertos com uma homenagem ao colega Élcio Berer, da Justiça Federal do Paraná, que faleceu na noite do dia 5 em decorrência de infarto sofrido no dia 2 de setembro, durante Ato Nacional.

Em seguida, foram transmitidos os informes do Comando Nacional de Greve e do Comando de Greve do DF, que indicaram a continuidade da greve e a intensificação da luta pela derrubada do Veto 26 e pela rejeição ao substitutivo do PLC 41.

O deputado Izalci Lucas (PSDB/DF) e o senador Ranfolfe Rodrigues (PSOL/AP) prestigiaram a Assembleia, empenhando apoio ao pleito da categoria e motivando os servidores. Segundo Izalci, os servidores precisam reforçar a mobilização, no sentido de que todos devem comparecer ao Congresso Nacional e pressionarem seus parlamentares.

“Contem 100% comigo. Hoje mesmo ou amanhã vou cobrar o Senado sobre a antecipação da sessão conjunta do Congresso Nacional”, afirmou o deputado que esteve entre aqueles que exigiram de Renan Calheiros, no dia 2 de setembro, a convocação de nova sessão. Ainda registrou que nunca viu uma categoria realizar um trabalho tão forte e organizado dentro do Congresso Nacional.

Já Randolfe afirmou “o movimento grevista de vocês é heroico. O tratamento dado a vocês não é digno a quem presta serviço público indispensável à Justiça e ao funcionamento do País”. Destacou ainda que só é Estado Democrático se tiver Judiciário independente, Legislativo independente. Criticou a política do governo Dilma e afirmou que os servidores não podem pagar a conta dos erros cometidos pelo governo. Também informou que está trabalhando pela antecipação da sessão do Congresso Nacional.

Ao final, os servidores se uniram e entoaram: “Judiciário unido jamais será vencido”, demonstrando que não vão desistir da luta.


Foi aprovado o calendário proposto pelo Comando de Greve:

9/9 (quarta-feira): Ato no Senado.

10/9 (quinta-feira): Aeroporto, Congresso e Arrastão.

11/9 (sexta-feira): Reunião do Comando de Greve.


Também aprovaram os demais encaminhamentos indicados pelo Comando de Greve
(Veja quais são AQUI)


Demais encaminhamentos aprovados:

Formação do Comando do Judiciário, um grupo para conversar com ministros do STF em busca de apoio à derrubada do Veto 26;

Sindjus e Fenajufe oficiar as associações de aposentados e deficientes que também têm matérias de seus interesses pendentes de apreciação;

Pesquisar processos que tramitam no Judiciário contra o deputado Waldir Maranhão e o senador Renan Calheiros como modo de pressão;

Solicitar à Fenajufe que providencie ambulância para os atos;

Chamar Assembleia específica para contribuição extraordinária e temporária.

🔥15 Total de Visualizações