Sindjus leva pauta dos servidores ao presidente do TJDFT

Os coordenadores do Sindjus José Rodrigues Costa e Júnior Alves se reuniram com o presidente do TJDFT, desembargador Getúlio de Moraes Oliveira, nesta quarta-feira (21/10), para tratar de assuntos de interesse dos servidores, como a greve, a mobilização pela derrubada do Veto 26 e os 13,23%. Também participaram da reunião, o corregedor desembargador Romeu Gonzaga, o juiz auxiliar da Corregedoria de Justiça do DF Pedro Yung Tay Neto e o presidente da Aojus, Gerardo Alves Lima Filho.

Os dirigentes sindicais começaram agradecendo o presidente do TJDFT pela sua intervenção positiva no sentido de viabilizar a reunião com o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, no dia 14 de outubro. O desembargador Getúlio ressaltou a importância da reabertura do diálogo com o STF e elogiou a postura do Sindjus.

Levando a decisão do Comando de Greve para o presidente do TJDFT, o Sindjus solicitou a liberação de uma equipe de servidores para continuar atuando no Congresso Nacional pela derrubada do Veto 26 caso a greve seja encerrada. Os coordenadores ressaltaram a importância do trabalho que vem sendo desenvolvido pela categoria junto aos parlamentares explicando o quão necessário é continuar com esse instrumento de pressão. O presidente concordou em analisar essa questão e pediu para o sindicato fazer uma relação com os nomes dos servidores que estão realizando essa atividade no Congresso.

O desembargador Getúlio revelou que está sofrendo forte pressão do CNJ para cortar o ponto dos grevistas e que a situação está no limite. Informou também que, inicialmente, a Portaria 102 sairia com a determinação do corte de ponto, mas que ele resolveu reavaliar a questão e esperar um pouco mais acompanhando atentamente os rumos do movimento paredista.

Em relação aos 13,23% foi enfático ao afirmar que assim que chegar uma decisão ele determinará o pagamento imediato. Explicou que da parte dele não haverá qualquer obstáculo para o cumprimento de tal decisão. Orientou, inclusive, que após a reabertura do diálogo com o presidente Lewandowski é importante que o Sindjus aproveite esse momento e busque junto ao STF uma decisão administrativa favorável aos 13,23%.

Os coordenadores se comprometeram a levar as decisões judiciais favoráveis já existentes como a do TRF-1 e da 1ª e 2ª turma do STJ, e também as decisões administrativas (STM, CNMP e TRE-AM).

Uma nova reunião será solicitada em breve para discussão e aprofundamento desses e de outros pontos da pauta dos servidores.

🔥16 Total de Visualizações