Visando a transparência, Sindjus divulga prestação de contas da greve de 2015

Sindjus também contratou empresa para fazer auditoria nas contas do sindicato

A Diretoria do Sindjus, que tem se pautado pela transparência das negociações, estratégias e contas do sindicato, divulga, para conhecimento do filiado, as despesas da greve de 2015, a maior greve da história da nossa categoria. Segundo apurado pelo Departamento Financeiro do Sindjus, os gastos chegaram a quase dois milhões de reais (R$ 1.922.310,35).

Esse montante só não foi maior porque a Diretoria, em prol da otimização dos recursos, promoveu várias mudanças, em relação a práticas passadas, como fim do aluguel de salas em hotel para reunião, diminuição significativa do aluguel de som (graças a compra de equipamento próprio), fim gradativo da contratação de atividades culturais (substituídas por atividades de voluntários, privilegiando assim os artistas da categoria).

No entanto, não foi possível melhorar mais os gastos em razão do pouco tempo entre a posse da diretoria e o início da greve, o que inviabilizou uma pesquisa mais apurada de alguns serviços que já vinham sendo prestados para o sindicato na gestão anterior e que eram necessários para o andamento da greve. Além disso, é importante frisar que houve acúmulo de dívidas, uma vez que a greve é o momento de maior gasto em qualquer categoria e a diretoria assumiu o sindicato com déficit financeiro e dívidas atrasadas.

Dentre os gastos, despesas com compra de água e apitos, aluguel de mesas, cadeiras, tendas, carros de som, banheiros químicos e pagamento de serviços referentes a transporte, material gráfico, fotografia e filmagem, bem como de freelances que deram todo o suporte à realização da greve. Do montante total, falta negociar ainda R$ 215.374,60. As outras despesas estão previstas para serem pagas nos próximos meses, conforme negociação com os prestadores de serviço e fornecedores.

A diretoria informa ainda que, com o objetivo de apresentar uma prestação de contas completa, contratou uma empresa com vinte anos de experiência no mercado, para fazer auditoria nas contas do Sindjus no período de maio de 2009 a maio de 2015. Assim que os trabalhos forem concluídos, os filiados terão conhecimento desse material.

A lição que fica é que fortalecendo o sindicato com filiações e utilizando os recursos de forma responsável, temos condições de fazer uma greve de qualidade, com visibilidade e estrutura adequada, como foi a de 2015, sem dúvida alguma, a maior da nossa categoria. No entanto, a situação teria sido tranquila se, além de não encontrar um déficit nas contas do Sindjus, a atual diretoria tivesse encontrado um fundo de greve fortalecido.

Clique Aqui para ver essa prestação de contas detalhada.

🔥20 Total de Visualizações