9º Congrejufe elege nova Diretoria Executiva e limita número de mandatos

De 27 de abril a 1º de maio, aconteceu, em Florianópolis (SC), o 9º Congrejufe, reunindo delegações do Brasil todo em torno de debates importantes sobre as lutas dos servidores do Poder Judiciário e do MPU, e de votações, como a que elegeu a nova Diretoria Executiva da Fenajufe para o triênio 2016/2019.

O processo de votação para a Diretoria Executiva e o Conselho Fiscal da Fenajufe começou às 22 horas deste sábado (30/4) e a apuração entrou madrugada adentro.

Confira os votos recebidos por cada uma das seis chapas inscritas:

Chapa 1 – Unidade com Equilíbrio para Avançar = 30 votos;

Chapa 2 – Lutafenajufe = 121 votos;

Chapa 3 – Democracia e Luta. Zero Não! = 111 votos;

Chapa 4 – Fenajufe sem Correntes – Juntos Somos Mais = 68 votos;

Chapa 5 – União por Justiça = 80 votos;

Chapa 6 – Liberta Fenajufe = 120 votos.

Agora, os dirigentes vão se reunir em Brasília no próximo sábado (7/5), quando deverá ser definida a nova coordenação executiva da Fenajufe. Tomaram posse no dia 1º de maio os seguintes coordenadores:

1) Helênio Porto Barros (Chapa 2)

2) Júlio César de Oliveira Brito (Chapa 6)

3) José Aristeia Pereira (Chapa 3)

4) Gerardo Alves Lima Filho (Chapa 5)

5) José Rodrigues Costa Neto (Chapa 4)

6) Cristiano Bernardino Moreira (Chapa 2)

7) Vicente de Paulo da Silva Souza (Chapa 6)

8) Ronaldo das Virgens (Chapa 3)

9) Rodrigo Ferreira de Carvalho (Chapa 5)

10) Adriana Barbosa Rocha de Faria (Chapa 4)

11) Erlon Sampaio de Almeida (Chapa 2)

12) Rodrigo Gomes Peixoto (Chapa 6)

13) Marcos José dos Santos (Chapa 1)

14) Mara Rejane Weber (Chapa 3)

15) Marcelo de Melo Ferreira (Chapa 5)

16) Elcimara Augusto de Sousa (Chapa 2)

17) Alisson Ribeiro Silva (Chapa 6)

Suplentes:

18) Edmilton Gomes de Oliveira (Chapa 3)

19) Marcelo Rodrigues Ortiz (Chapa 5)

20) Saulo Costa Arcangeli (Chapa 2)

21) Adilson Rodrigues dos Santos (Chapa 2)

22) Gláucio Luiz da Silva (Chapa 4)

23) José Everson Nogueira Reis (Chapa 6)

Tese vencedora

Três teses de conjuntura nacional foram defendidas. A tese “Fora Todos os corruptos! Eleições Gerais Já!”, foi a vencedora com 161 votos.

Limite de dois mandatos

Devido ao tempo hábil para realização do Congresso, foi acordado que somente as sete mais polêmicas propostas de alteração estatutária das 344 apresentadas fossem debatidas. Dentre elas, a limitação da reeleição de titulares de cargos na Diretoria Executiva da Fenajufe a dois mandatos. A proposta foi aprovada com 405 votos.

Propostas sem quórum

A segunda proposta apreciada nesta quinta mudava a constituição do nome da Fenajufe, de Federação Nacional dos Trabalhadores para Federação dos Servidores Públicos do Poder Judiciário da União e do Ministério Público da União. A proposta teve 257 votos, não atingindo os 274 necessários para quórum.

Outra se refere à forma de composição da diretoria – que hoje adota do critério da proporcionalidade qualificada – para o sistema majoritário, sendo eleitos os mais votados, e se a votação será nominal ou por chapa.

Outra proposta votada foi mudar a forma de eleição de delegados aos congressos, encontros ou assembleias gerais. Hoje o Estatuto, em seu artigo 14, diz que a eleição pode ser por chapa ou por votação nominal. A proposta era que se desse proporcionalmente por chapa, havendo aclamação em caso de chapa única, com votação nominal apenas quando não houvesse chapa. A proposta teve 257 votos, não atingindo o quórum de 274 votos, mantendo-se portanto a redação original do Estatuto.

Os delegados também analisaram a proposta de vedar a participação de servidores filiados a partidos políticos na composição da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal como membro titular ou suplente. Foram 142 votos favoráveis, não atingindo, portanto, o quórum mínimo necessário, de 274 votos.

A última apreciação em Plenário de mudança estatutária estabelecia uma cláusula de barreira, propondo que não poderiam votar e ser votados para a Diretoria Executiva e Conselho Fiscal os servidores que, nos últimos seis meses, estivessem cedidos/requisitados para quadros de pessoal diversos do PJU/MPU ou usufruindo de licença/afastamento por período superior a seis meses, com exceção de licença para desempenho de mandato classista. A proposta, com 117 votos favoráveis, também não atingiu o quórum necessário para estar no Estatuto.

As demais propostas de alteração estatutária deverão ser apreciadas em uma Plenária Extraordinária que ocorrerá em Brasília e terá sua data definida em reunião da nova Diretoria Executiva da Fenajufe.

Com informações da Fenajufe

🔥53 Total de Visualizações