Em ato descontraído no STF, servidores dão adeus a Lewandowski

Chamados pelo Sindjus-DF, um grupo de servidores do Judiciário Federal e do MPU realizaram uma manifestação em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF) na tarde desta segunda-feira (12). Em tom descontraído, eles deram adeus ao ministro Ricardo Lewandowski da presidência do STF. O ato ocorreu no mesmo momento em que acontecia a posse da nova presidente da Corte, ministra Carmén Lúcia, e do vice, ministro Dias Tófolli.

Os coordenadores do Sindjus-DF Costa Neto (coordenador da Fenajufe), Chico Vaz, Devair de Souza, Ednete Bezerra, Elcimara Souza (coordenadora da Fenajufe), Eldo Luiz, Josivam Silva e Júnior Alves conduziram a manifestação, acompanhados por colegas de alguns tribunais. A coordenadora da Fenajufe Adriana Faria também participou da manifestação.

Foto:Andrey Assunção

Portando faixas com os dizeres “Adeus Lewandowski”, “Tchau, querido”, “STF não é puxadinho do Executivo” e “Respeito para a autonomia do Judiciário”, os manifestantes passaram o recado que Lewandowski não os representa. Com vuvuzelas, eles chamaram a atenção da imprensa, dos convidados que chegavam para assistir à solenidade de posse e de outros grupos que se manifestavam no local.

Gestão marcada pela submissão
Indicado ao cargo de ministro do STF em 2006, pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Ricardo Lewandowski foi vice-presidente entre 2012 e 2014 e desde 2014 presidia a Corte e o Conselho Nacional de Justiça. Na avaliação do Sindjus, a gestão do ministro como presidente do STF foi marcada pela submissão aos governos petistas, atuando em confronto direto com as reivindicações dos servidores ao tomar uma série de medidas, como desrespeitar o direito de greve e enviar, ao Congresso Nacional, propostas rebaixadas de reajuste salarial. Já quanto aos pleitos da magistratura, o ex-presidente sempre atendeu prontamente seus interesses.

Quando a categoria acumulava quase dez anos sem reajuste, em 2014 Lewandowski chegou a afirmar que não haveria aumento para os juízes enquanto o projeto de revisão do plano de cargos e salários dos servidores não fosse aprovado. No entanto, sua declaração ficou apenas na promessa e o que se viu foi seu empenho para garantir o aumento do subsídio dos magistrados. Naquela ocasião, a categoria encerrou mais um ano sem revisão salarial.

Para o Sindjus, a manifestação de hoje foi importante, porque marcou o fechamento do ciclo de Lewandowski à frente do STF. Além disso, os servidores tiveram a oportunidade de demonstrar à ministra Cármen Lúcia a disposição de luta da categoria para que sejam ouvidas e atendidas suas reivindicações.

Foto: Leonor Costa

🔥18 Total de Visualizações