Governo aposta em mentiras para tentar aprovar Reforma da Previdência

É, no mínimo, curioso o fato de o governo ter divulgado um novo recorde do déficit somado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) quando tenta a todo custo votar a Reforma da Previdência em fevereiro próximo. A grande mídia repercutiu que o “rombo da Previdência” atingiu R$ 268,79 bilhões em 2017, um montante 18,5% maior que o registrado em 2016.

O governo Temer utiliza de todos os meios possíveis para tentar convencer a população de que a aprovação da PEC 287/16 é necessária. Além de jogar a sociedade contra os servidores públicos, afirmando que esses são “privilegiados”, manipula números.

O Sindjus-DF acompanhou a aprovação, por unanimidade, no dia 25/10/17, do relatório final do senador Hélio José (Pros-DF) sobre os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito da Previdência (CPI), que apontou que o sistema não tem déficit e descartou necessidade de reforma. O documentou trouxe à tona a existência de uma série de dados e informações inconsistentes anunciadas pelo governo para tentar aprovar a PEC 287.

Portanto, não há déficit previdenciário! Não há rombo da Previdência! As falsas premissas que embasam a Reforma da Previdência, segundo a CPI, podem ser resumidas em três itens principais: inclusão de servidores federais (civis e militares) no rombo, projeções “exageradas” de envelhecimento da população e má gestão dos recursos.

A grande mídia faz um estardalhaço com esses números mentirosos sobre o suposto déficit previdenciário, mas não dá ampla publicidade ao fato das isenções fiscais (os chamados gastos tributários) estarem estimadas para 2018 em R$ 284 bilhões. Esse montante é maior do que o apontado pelo governo como o maior rombo previdenciário da história. E mais: os subsídios dispararam de 2007 para 2016, passando de R$ 31 bilhões para R$ 115 bilhões. E graças aos sucessivos programas de refinanciamento de dívidas (Refis), a União deixou de arrecadar R$ 176 bilhões em juros e multas nos últimos dez anos.

Portanto, o verdadeiro culpado pela crise econômica é o governo, que ao invés de fechar as torneiras que beneficiam banqueiros, grandes sonegadores de impostos, donos de fortunas, prefere atacar servidores públicos e a classe trabalhadora, em geral, retirando direitos, difamando e manipulando informações. Temos que estar conscientes dessa realidade e continuar combatendo as mentiras do governo. Juntos, contra a PEC 287!

🔥9 Total de Visualizações