PEC 287: Governo entrega lista com deputados indecisos para mercado agir

O governo utiliza de todos os meios para angariar os votos necessários à aprovação da PEC 287 (reforma da Previdência), cuja votação no Plenário da Câmara está prevista para o dia 20 de fevereiro. Além de comprar votos com distribuição de emendas parlamentares e cargos na Administração Federal, além de conceder benefícios a sonegadores e donos de grandes fortunas, e ainda de negociar com grupos específicos algumas concessões no texto da proposta, o Palácio do Planalto repassou uma lista com nomes de deputados indecisos para que agentes do mercado e empresários auxiliem no convencimento a favor da reforma.

Documento obtido pela Agência Reuters com uma fonte do setor privado mostra uma lista de quase 90 parlamentares que o governo vê como indecisos sobre a reforma. Fonte palaciana confirmou a existência da lista e a estratégia de ter a ajuda dos agentes de mercado e empresários no esforço pela aprovação da proposta.

Na véspera, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, reuniu-se com confederações de empresários. Na noite desta terça-feira, estava agendada uma conversa do mesmo ministro com líderes da base patrocinada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O governo precisa de 308 votos para aprovar a PEC 287. Segundo cálculo do Planalto é de que 270 deputados estariam dispostos a votar pela reforma, faltando 38 votos para se alcançar o mínimo necessário. Por isso, o governo colocou a “tropa de choque” em campo para tentar convencer os indecisos.

O próprio presidente Temer está empenhado em conseguir a aprovação da Reforma, prova disso foi sua entrevista sobre o tema ao apresentador Silvio Santos, no último domingo. Tudo faz parte da estratégia midiática do Planalto para conseguir apoio da população e pressionar os parlamentares.

Por isso, temos que seguir mobilizados. O Sindjus-DF, com a volta dos trabalhos legislativos após o recesso, retomará atividades no aeroporto e nas quadras residenciais de parlamentares, objetivando pressionar deputados e senadores a votarem contra a PEC 287. O intuito é trabalhar fortemente a afirmação “se votar, não volta”, em referência ao fato de estarmos em ano eleitoral.

O governo já se mostrou irritado com a indecisão dos parlamentares, afirmando que não há mais como se permanecer indeciso. Temos, portanto, que fazer uma ampla campanha deixando bem claro aos deputados que os que votarem favoráveis à reforma da Previdência pagarão um preço alto nas urnas. Temos um ótimo argumento a nosso favor, mas precisamos nos mobilizar e realmente abraçar essa luta, que diz respeito a todos nós, servidores públicos.

Você pode contribuir para essa luta de muitas formas, como compartilhando peças publicitárias contra a reforma em suas redes sociais e participando de mobilizações convocadas pelo sindicato. Temos de reunir esforços para lutar contra um governo que já revelou por meio de suas atitudes seu real objetivo com a Reforma da Previdência – beneficiar o mercado financeiro e os grandes empresários.

🔥14 Total de Visualizações