Reunião de Diretoria trata entre outros temas, de Pró-Saúde e ato do dia 13 de setembro

Na manhã desta sexta-feira (31/08), em reunião de Diretoria Colegiada, transmitida ao vivo pelo Youtube, os coordenadores informaram e debateram sobre diversos temas, inclusive, esclarecendo que, na data de ontem (30/08), reunida em assembleia-geral, realizada no TST, a categoria aprovou a prestação de contas do Sindjus-DF no período de junho de 2017 a maio de 2018 e a previsão orçamentária para o ano de 2019.Em relação ao RRA sobre passivos na ação do Imposto de Renda, o Sindjus-DF está avançando nos cálculos, já tendo concluído o dos seguintes locais: TRE, MPT, MPU e TST, isto é, dos órgãos que já encaminharam os dados solicitados pelo Sindicato. O TJDFT encaminhará tais informações na próxima semana. Porém, as execuções ainda não começaram, visto que a juíza da 5ª Vara está tentando construir um acordo com a AGU para facilitar o trâmite processual das execuções.O Sindicato relembrou que conseguiu, juntamente com a Diretoria Executiva da Assejus, adiar mais uma votação do reajuste do Pró-Saúde em uma reunião do Conselho Deliberativo órgão, realizando, inclusive, ato relâmpago, no dia 29 de agosto. Com isso, o Sindjus-DF pode continuar a rodada de reuniões setoriais que está esclarecendo e ouvindo os servidores.Sobre essa pauta, foi aprovado que o Sindjus encaminhará à Diretoria Executiva da Assejus proposta de realização de assembleia conjunta entre as duas entidades após a finalização das reuniões setoriais para tirar posição oficial da categoria a ser encaminhada ao Conselho Deliberativo do Pró-Saúde.Os coordenadores debateram a participação do Sindjus-DF no ato do dia 13 de setembro, organizado pelo Fonasefe e encampado pela Fenajufe, para o dia da posse do novo presidente do STF, Dias Toffoli, onda toda cúpula dos Três Poderes estará presente. A pauta oficial é:- data-base e negociação coletiva para todos os servidores públicos já;– revogação da Emenda Constitucional nº 95/2016, que congela o orçamento dos serviços sociais até 2036 e contra o ajuste fiscal;– contra as Reformas Previdenciária e Trabalhista;- contra a nova Lei da Terceirização (13.429/2017), que precariza o trabalhador e sucateia os serviços públicos;– serviços públicos gratuitos e qualidade.No entanto, os últimos atos chamados pelo Fonasefe e apoiados pela Fenajufe foram desvirtuados, o que causa dúvida sobre a participação ou não do Sindicato no do dia 13. Foi aprovada a realização de uma consulta virtual para a categoria decidir sobre a participação do Sindjus-DF neste ato.Ainda nesta reunião, foi criada uma comissão para estudar a continuidade ou não da filiação do Sindjus-DF à Fenajufe.

🔥34 Total de Visualizações