Sindjus-DF repudia proposta dos governadores de fim da estabilidade dos servidores

Por meio de uma carta entregue ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) durante reunião realizada na última quarta-feira (14/11), em Brasília, os governadores eleitos pediram a flexibilização dos critérios que regem a estabilidade dos servidores públicos. A justificativa, segundo eles, é auxiliar no cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para despesas com pessoal.

O Sindjus-DF repudia mais essa ação orquestrada pelo governo de tentar transferir para os servidores a responsabilidade da crise econômica, política e social que assola nosso país. Mais uma vez se pretende colocar no colo dos trabalhadores e servidores públicos a conta pela crise decorrente da irresponsabilidade de políticos e governantes, fruto da má gestão dos recursos públicos e da corrupção desenfreada nas diversas esferas de poder.

Na “Carta dos Governadores”, 13 pontos são considerados como prioridades: reforma da segurança pública, reforma da Previdência e tributária; alteração da Constituição para que os estados possam explorar concessões portuárias e de infraestrutura aeroportuária, além dos serviços de energia elétrica, flexibilização da estabilidade dos servidores públicos, desburocratização e reforma administrativa, estímulo ao turismo, ampliação e reforço na fiscalização de fronteiras, incentivos à renovação tecnológica, repasses para compensação dos estados à Lei Kandir, securitização da dívida ativa, reajuste da tabela do SUS, ampliação do Fundeb e a retomada de obras inacabadas.

Segundo divulgado pela imprensa, o fim da estabilidade já encontra apoio dentro da equipe do presidente eleito. Inclusive, o vice, general Hamilton Mourão, já afirmou que “tem que haver uma mudança e aproximar o serviço público da atividade privada”. Precisamos unir as categorias e entidades contra mais essa ofensiva, nos mantendo atentos e mobilizados.

🔥21 Total de Visualizações