Sindjus-DF não para e lança ampla campanha em defesa dos serviços e servidores públicos

O momento agora é de união em torno do combate ao novo coronavírus, com cada um fazendo a sua parte para proteger a coletividade e evitar que essa pandemia tome proporções ainda mais graves. Além de tomar todas as providências junto aos órgãos do Poder Judiciário e do MPU em prol de medidas necessárias para conter a proliferação do Covid19, o Sindjus-DF está atuando fortemente contra a Reforma Administrativa e em defesa dos serviços e servidores públicos.

O Sindicato colocou uma ampla campanha nas ruas do Distrito Federal, estampada em outdoors, busdoors, painéis e totens eletrônicos da Rodoviária do Plano Piloto. Além disso, como já divulgado, há dezenas de faixas espalhadas pelos locais de trabalho da nossa categoria. A intenção é mostrar que continuamos vigilantes e combativos, afirmando claramente que não vamos aceitar a destruição dos serviços públicos nem ataques e prejuízos aos servidores.

A PEC 186, de 2019, que integra o Plano Mais Brasil e é uma das precursoras da Reforma Administrativa, tramita na CCJ do Senado Federal prevendo a redução salarial de até 25% dos salários dos servidores públicos.

Maquiavelicamente, objetivando se aproveitar de um momento de fragilidade da população e de pânico na sociedade em função da pandemia de coronavírus, a imprensa, empresários, governo e alguns políticos imediatamente ventilaram de forma irresponsável a possibilidade de os salários dos servidores serem cortados em até 50% para que o funcionalismo dê sua cota de contribuição à crise vigente.

Ou seja, a ordem do dia continua sendo o ataque maciço e sem precedentes aos servidores públicos.

No dia de ontem, mais uma vez fomos surpreendidos com declarações e ameaças ao funcionalismo proferidas na imprensa pelo presidente da Câmara Rodrigo Maia de que irá levar à cabo proposta articulada nos partidos de redução salarial dos servidores, bem como com a divulgação de projeto de lei de autoria do deputado Carlos Sampaio (PSDB/SP) e de proposta de emenda à constituição de autoria do deputado Ricardo Izar (PP/SP), ambos nesse sentido.

Por isso, o Sindjus-DF insiste em uma campanha forte e permanente contra esses ataques, que também trazem, entre outras propostas, o fim da estabilidade e da progressão na carreira, congelamento de concursos públicos, diminuição de cargos e redução do número de servidores.

“Nesse momento de crise, ao contrário de propor o caminho natural de fortalecimento do Estado a partir do investimento no serviço público e da valorização dos servidores, o governo propõe o desmonte e destruição desse que é um dos maiores patrimônios do povo brasileiro, pois sem serviços públicos não há Estado minimamente organizado nem atenção prioritária à população e aos mais necessitados. Por isso, o Sindjus-DF, que é um sindicato apartidário, independente, compromissado exclusivamente com a categoria, combate duramente essa política de terrorismo contra o funcionalismo adotada pelo governo e por parte do Congresso Nacional”, afirmou o coordenador-geral do Sindjus-DF, Costa Neto.

É importante manter e intensificar cada vez mais a nossa campanha nas ruas neste momento para que o Poder Executivo e o Poder Legislativo não se aproveitem da situação de caos para aprovar medidas prejudiciais aos servidores públicos. Não temos dúvida de que setores irresponsáveis da sociedade estão explorando essa crise e o continuarão fazendo no futuro próximo como argumento para penalizar os servidores.

Não é de hoje que os políticos e poderosos querem que paguemos a conta por uma crise econômica que não foi criada por nós.
Todos devem contribuir com a recuperação do Brasil, porém, os servidores vão contribuir com o que fazem de melhor e que é essencial à sociedade: servir à população com qualidade.

Certamente, após essa fase da pandemia em que nos encontramos, vai crescer o número de pessoas que vão precisar cada vez mais de serviços essenciais e procurar a Justiça em busca de seus direitos. E nós, servidores do Poder Judiciário e do MPU, vamos estar à disposição para atender com presteza e dar conta dessas demandas com a seriedade e a eficiência de sempre.

Penalizar os servidores públicos é penalizar o Brasil, que neste momento vê a extrema importância, por exemplo, de uma saúde pública de qualidade. O Sindjus-DF aplaude os médicos, os enfermeiros, enfim, todos os servidores e profissionais da saúde pública brasileira e de todos os setores que estão na linha de frente combatendo o coronavírus. O serviço público é essencial e existe exatamente para isso, servir à população. E essa pandemia demonstra o quanto é necessário que essa política de sucateamento, aviltamento e destruição do setor público seja de uma vez por todas desmascarada e alterada para uma política de valorização.

Os servidores públicos merecem reconhecimento pelo seu trabalho e respeito por parte dos governantes, que ao contrário de promover ataques contra as carreiras públicas deveriam estruturá-las para que nosso País tenha condições de enfrentar qualquer crise causando o menor impacto possível na população. Pois, embora o governo tente distorcer a realidade, os servidores públicos não são os vilões, mas os maiores aliados da sociedade.

O Sindjus-DF, que continuará em franca campanha contra a Reforma Administrativa, a PEC 186/19 e outras propostas de ataques aos serviços e servidores públicos, pede encarecidamente para que a nossa categoria participe dessa ação divulgando as peças publicitárias da campanha em suas redes sociais. O momento é de se defender em todos os sentidos. Defender-se do novo coronavírus e das ameaças vindas de uma política e de um governo que elegeu os servidores públicos como alvo.

 

🔥211 Total de Visualizações