Governo desiste de PEC Emergencial, mas Sindjus-DF permanece atento e atuando contra ataques a servidores

Em razão da nova conjuntura gerada pela pandemia de coronavírus, o governo desistiu da PEC Emergencial que trazia uma série de maldades ao serviço público, como redução de jornada e salários de servidores. O Sindjus-DF, que atuou contra essa proposta, vê a queda da PEC Emergencial como uma esperança para o funcionalismo, mas reconhece que não é momento de baixar a guarda, pois os servidores continuam na mira do Executivo e de parlamentares.

Prova disso é que a deputada federal Carla Zambelli, da base governista, iniciou recentemente o recolhimento de assinaturas para protocolar uma PEC que reduz em 25% o salário de parlamentares, servidores e membros do Executivo, Legislativo e Judiciário.

E não podemos esquecer que em troca de socorro a Estados e municípios, o governo conseguiu aprovar no Congresso Nacional o congelamento salarial e de benefícios de servidores até o final de 2021.

Portanto, os servidores continuam no radar do governo para, de uma forma ou de outra, pagarem parte da conta da crise econômica agravada pelo coronavírus. Segundo divulgado pela mídia, muitas medidas da PEC Emergencial serão incluídas na proposta do Pacto Federativo, que poderá avançar junto com as outras reformas.

A equipe econômica do governo insiste na visão de que o compromisso com a agenda de reformas é fator decisivo para que os investidores mantenham a confiança no País. Embora o presidente da República tenha declarado que a reforma administrativa ficará para 2021, precisamos continuar atentos às movimentações do governo, da Câmara dos Deputados e do Senado, pois o próprio presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), é favorável à redução de salário dos servidores.

Precisamos continuar firmes na defesa dos serviços e servidores públicos, pois com a aproximação entre o Palácio do Planalto e o Centrão, o governo ganha votos importantes no Congresso. O próprio ministro da Economia, Paulo Guedes, que já atacou os servidores públicos por diversas vezes, tem se reunido com lideranças do Centrão buscando apoio às reformas.

“O momento é delicado, por isso o Sindicato tem acompanhado com muita atenção a pauta e os bastidores do Legislativo, buscando informações em tempo real e atuando firmemente para frear prejuízos ao funcionalismo. Nunca nesses 30 anos de Sindjus-DF, a entidade fez um acompanhamento diário tão minucioso dos trabalhos das duas casas que compõem o Congresso Nacional quanto esse que está realizado pela atual diretoria e que tem importante significado para a defesa dos nossos direitos. Tem muita coisa em jogo e o nosso Sindicato tem desenvolvido um trabalho que vem sendo elogiado nacionalmente. Não podemos cair na armadilha de acreditar que o governo desistiu dos ataques ao funcionalismo. Precisamos continuar firmes, atentos e mobilizados”, afirmou o coordenador-geral do Sindjus-DF, Costa Neto.

🔥307 Total de Visualizações