Ampliada da Fenajufe é dominada por discussão política e pouca produtividade: estratégias, calendário de lutas e Fundo de Greve mais uma vez não foram apreciados

Com correção às 16h19, de 26/08/2020

 

No último sábado (22/08), 140 participantes (delegados e observadores) de 19 sindicatos participaram da Ampliada da Fenajufe, que pela primeira vez na história ocorreu de forma virtual.

A reunião iniciou pelo debate sobre Conjuntura, que contou com a participação do assessor e consultor de entidades sindicais Vladimir Nepomuceno e da doutora em desenvolvimento econômico pela Unicamp, Marilane Teixeira, que trouxeram importantes contribuições para a compreensão do atual cenário de ataques vividos pelos servidores públicos.

Todavia, como um triste prenúncio do que estava por vir, no decorrer da exposição, um dos palestrantes foi interpelado de maneira deselegante e desrespeitosa por duas delegadas participantes da Ampliada, episódio que constrangeu a todos os presentes.

O fato ainda mais triste foi que depois de 14 horas de discursos repetitivos, com pouca objetividade e constantes agressões verbais desferidas por militantes de conhecidos grupos políticos-partidários contra colegas delegados legitimamente eleitos em sua base, foram votadas somente duas propostas:

1) Fora Bolsonaro!
2) Construção das condições para realização de Greve Sanitária.

A proposta, oriunda da base do Sindjus-DF, para que a diretoria da Fenajufe cumpra o Estatuto da entidade (art. 33, parágrafo 3º) e constitua definitivamente o Fundo de Greve, a fim de reservar os recursos necessários para promover a luta contra a Reforma Administrativa e os constantes e atuais ataques aos servidores públicos, em especial, aos servidores do PJU/MPU, foi rejeitada de plano pela mesa que coordenava o evento. Os delegados do DF subscritores da proposta apresentaram recurso contra a decisão da mesa, todavia tal recurso nem sequer foi colocado em votação, sendo relegado para apreciação futura.

Diante desse cenário, ficam os seguintes questionamentos:

por que os grupos majoritários na diretoria da Fenajufe se negam a cumprir o Estatuto e constituir o Fundo de Greve?

para que está servindo o dinheiro que, com muito esforço, as entidades filiadas repassam à Fenajufe?

por que a diretoria da Fenajufe não consultou nem sequer informou às entidades filiadas sobre a aquisição de um imóvel situado em frente à atual sede, que custará quase 2 milhões de reais aos cofres da entidade?

Não dá mais para suportar tamanho desrespeito e descaso com a categoria e as entidades filiadas!

Nesse sentido, o Sindjus-DF, que paga quase 1 milhão de reais por ano para a Fenajufe, vem cobrar a diretoria da Federação e conclama a todos a exigir o cumprimento do Estatuto com a imediata instituição do Fundo de Greve da entidade.

É hora de os sindicatos filiados exercerem o seu papel e cobrar mais ação, transparência e responsabilidade da diretoria da Fenajufe na correta utilização dos recursos da entidade, bem como no cumprimento do Estatuto da Federação.

Fundo de Greve da Fenajufe já!

🔥147 Total de Visualizações