Sindjus-DF e Agepoljus informam: criação da Polícia do Poder Judiciário será apreciada na sessão do CNJ do dia 1º de setembro

O Sindjus-DF e a Agepoljus, que estão trabalhando diuturnamente pela criação da Polícia Institucional do Poder Judiciário, juntamente com a Queiroz Assessoria Parlamentar e Sindical, que assessora as duas entidades, informam que o processo referente a esse pleito foi incluído na pauta da sessão do Conselho Nacional de Justiça do dia 1º de setembro, a última sessão ordinária sob a presidência do ministro Dias Toffoli, que se comprometeu junto às entidades a pautar essa matéria. A sessão do dia 8/9 será destinada à sua despedida da Presidência do CNJ.

A criação da Polícia Institucional do Poder Judiciário foi incluída como item 8 da pauta do dia primeiro de setembro (Veja AQUI) e será apreciada pelos conselheiros do CNJ, coroando assim o trabalho do Sindicato e da Associação, que lutaram muito para que esse tema fosse tratado ainda na gestão de Dias Toffoli, que recebeu de representantes do Sindjus-DF e da Agepoljus um anteprojeto de lei bastante detalhado e de acordo com as demandas da categoria.

Sindjus-DF e Agepoljus estão com um abaixo assinado virtual pela criação da Polícia do Judiciário com mais de 3.500 assinaturas e já realizaram diversas reuniões com o Diretor Geral do STF, conselheiros do CNJ e com o próprio presidente, Dias Toffoli, em defesa desta causa.

“O Sindjus-DF e a Agepoljus selaram uma parceria de sucesso em prol da criação da Polícia Institucional do Poder Judiciário, trabalhando com responsabilidade e afinco para que essa matéria fosse votada no CNJ até o final de agosto. Durante a última reunião com o conselheiro do CNJ Mário Augusto Figueiredo de Lacerda Guerreiro, que é o relator da matéria e Presidente do Comitê Gestor do Sistema Nacional de Segurança do Poder Judiciário, ressaltamos a importância de avançar nessa tramitação, de modo que o projeto da nossa polícia, valorizando todos os agentes de segurança, seja apreciado e aprovado no CNJ para implantação imediata, bem como para que seja encaminhada proposta legislativa ao Congresso Nacional o quanto antes”, frisou Roniel Andrade, presidente da Agepoljus e coordenador jurídico do Sindjus-DF.

🔥1.1 K Total de Visualizações