Sindjus-DF alerta servidores sobre Reforma Administrativa, que chegará ao Congresso nesta quinta-feira

Nos últimos meses, o Sindjus-DF vem chamando a atenção para o fato de que a Reforma Administrativa representa uma séria ameaça para os servidores e que as entidades representativas precisam se unir para combater mais esse ataque contra os servidores e o serviço público.

Após reunião com os líderes partidários no Palácio da Alvorada no dia de ontem (1º/9), o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que encaminhará nesta quinta-feira (3/9) a proposta de Reforma Administrativa.

Trata-se de mais um golpe contra uma categoria que faz a máquina pública e o país funcionar, protagonizado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, dois grandes defensores da reforma e de cortes no funcionalismo.

Embora seu texto será revelado nesta quinta-feira, é sabido que a proposta traz mudanças na regulamentação do serviço público e permite o fim da estabilidade para algumas categorias. Importante destacar que a estabilidade é crucial para que o servidor desenvolva seu trabalho de forma isenta, livre de perseguições políticas e de ingerências externas.

Embora o Presidente tenha afirmado que a proposta valerá apenas para os servidores públicos que ingressarem após sua aprovação, uma proposta dessa natureza abre caminho para o total desmonte do serviço público e perseguição aos servidores. Defendemos o serviço público do presente e do futuro, e temos consciência de que tudo pode ocorrer durante a tramitação no Congresso Nacional.

Não será uma batalha fácil. Vamos lidar com parlamentares que aprovaram o congelamento salarial dos servidores até dezembro de 2021 e que tentaram promover cortes salariais no funcionalismo com a desculpa da pandemia, que está sendo utilizada pelo deputado Kim Kataguiri para angariar assinaturas que possibilitem a apresentação de uma PEC para limitar o teto do funcionalismo a R$ 6 mil. Enquanto isso, a deputada Carla Zambelli está colhendo assinaturas para viabilizar uma proposta de redução de 25% nos salários de políticos, servidores e integrantes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário que ganham acima de R$ 15 mil.

“Diante de tantas ameaças e ataques, o momento é de união, de combatermos essa proposta que representa perseguição direta aos servidores e o desmonte do serviço público. Os defensores dessa reforma dizem que ela vai dar fôlego para o Brasil sair da crise econômica, quando, na verdade, ela vem para agravar as crises brasileiras, a econômica, a sanitária, a social, a educacional, pois o desenvolvimento do País passa, sem dúvida alguma, pela valorização dos serviços públicos. O Sindjus-DF já está em contato com Fonacate, Sindilegis e outras entidades, construindo a resistência e ações conjuntas para frear essa iniciativa. A nossa luta é pela rejeição e arquivamento da Reforma Administrativa”, afirmou o coordenador-geral do Sindjus-DF Costa Neto.

🔥644 Total de Visualizações