Sindjus-DF não poupa esforços para realizar seu 8º Congresso que vai discutir estratégias contra a Reforma Administrativa, enquanto grupo político tenta inviabilizar o evento

Neste final de semana (3 e 4/10), acontecerá o 8º Congresso do Sindjus-DF, que tem como objetivo debater a Reforma Administrativa de forma plural e democrática. Para isso, foram eleitos por assembleia 116 delegados, que serão responsáveis por discutir e aprovar os encaminhamentos do Sindjus-DF na luta contra a PEC 32/2020.
O jornalista e analista político Antônio Augusto Queiroz, especialista em assuntos legislativos, vai detalhar a Reforma Administrativa em uma palestra bastante didática, trazendo tanto informações técnicas quanto de bastidores, subsidiando assim o trabalho dos delegados do 8º Congresso.

A Diretoria do Sindjus-DF tomou todas as providências necessárias para a realização deste Congresso, pois entende que o momento atual pede uma discussão aprofundada a respeito das estratégias a serem adotadas na luta contra os ataques sofridos pelos servidores. Para isso, empenhou esforços e despendeu recursos financeiros, de modo que o evento está pronto para acontecer.

No entanto, atuando na contramão de tudo isso, um grupo chefiado por um ex-deputado federal do PT e uma dirigente da CUT está tentando destruir o 8º Congresso do Sindjus-DF por meio de um abaixo-assinado virtual. É uma atitude irresponsável de um grupo que não tem compromisso com a categoria, que vem sendo atacada pelo governo e por parlamentares e agora sofre de “fogo amigo”.

Os atores dessa manobra desrespeitam decisão assemblear de 12/12/2019, que decidiu pela realização do 8º Congresso, que está sendo construído pela Diretoria atendendo todos os requisitos estatutários. No entanto, o grupo chefiado pelo ex-deputado e pela dirigente da CUT tenta boicotar o Congresso sem pensar no prejuízo financeiro que traria ao Sindicato e no prejuízo político que impactaria de forma severa sobre a categoria, que perderia a oportunidade de debater e aprovar urgentemente encaminhamentos estratégicos e legítimos contra a Reforma Administrativa.

De que lado está esse grupo do abaixo-assinado? Com certeza não é do lado da categoria do PJU/MPU e nem dos servidores públicos. Quem já traiu os servidores em tantas oportunidades acha isso natural, tanto que insiste em repetir essa prática.

A Diretoria do Sindjus-DF está cumprindo o papel dela, fazendo valer uma decisão assemblear e se esforçando, mesmo em tempos de pandemia, para realizar um grande congresso.

🔥145 Total de Visualizações