Após cobrança de Sindicatos filiados Fenajufe aprova Fundo de Greve irrisório e maioria da Diretoria manda destruir registros da reunião. Sindjus-DF exige explicações

Reunião da Fenajufe: Fundo de Greve Irrisório

Na última sexta-feira (25/09), após uma intensa campanha dos Sindicatos filiados à Fenajufe, que exigiram o cumprimento do Estatuto da Federação no tocante à implantação do Fundo de Greve, a Direção da Fenajufe finalmente se reuniu para tratar deste tema. Infelizmente, na oportunidade, a maioria da Direção da Fenajufe aprovou um Fundo de Greve de apenas 5%, rejeitando a outra proposta apresentada (que havia sido colocada em Consulta anterior à reunião), que era o percentual de 15% , sendo 10% destinado para as atividades de mobilização da Fenajufe e 5% destinado exclusivamente para apoio aos pequenos sindicatos com menos de mil filiados, no desenvolvimento de mobilizações e greve, como por exemplo, contra a Reforma Administrativa.

O gesto da maioria da Direção da Federação demonstra total descaso com a categoria, pois sem recursos não há como enfrentar a máquina do governo e do mercado e pressionar os parlamentares, que estão unidos em prol da Reforma Administrativa.

A Fenajufe tem o dever de destinar parte substancial de sua arrecadação à construção da resistência da nossa categoria frente aos ataques que vem sofrendo diariamente. Devido à crise econômica instalada no País, os sindicatos menores estão enfrentando sérias dificuldades financeiras e necessitam de apoio para desenvolverem suas ações em defesa da categoria. Não é justo que a Fenajufe vire as costas aos seus sindicatos filiados e assim comprometa a luta dos servidores do Poder Judiciário e do MPU. Como Federação, ela tem o papel de dar o suporte necessário aos sindicatos que a compõe, em prol do fortalecimento nacional da nossa categoria.

O Sindjus-DF, que contribui com cerca de um milhão de reais por ano, que representa 20% da arrecadação da Federação, não compreende porque os dirigentes da Fenajufe decidiram – somente depois de muita pressão -, destinar um ínfimo percentual para o Fundo de Greve, já que a entidade possui muitos recursos em caixa e pode e deve fazer mais.

A titulo de exemplo, o Sindjus-DF gastou cerca de um milhão de reais na campanha contra a Reforma da Previdência e por volta de dois milhões de reais na Greve de 2015; ou seja, fez muito mais do que a Fenajufe, que tem saúde financeira e o dever de investir seus recursos nas lutas em defesa da categoria e para apoiar os sindicatos menores a ela filiados.

O Fundo de Greve do Sindjus-DF é de 10%, assim como de alguns sindicatos.

Por que a Fenajufe está querendo economizar em se tratando da luta da nossa categoria?
O que querem fazer com o dinheiro?
Depois de gastar quase dois milhões na compra e reforma de uma nova sede, localizada no prédio vizinho da sede atual, e ainda com outros milhões em caixa, por que a Fenajufe não quer investir nas lutas dos servidores do Poder Judiciário e do MPU?
Se a Fenajufe não quer ajudar os sindicatos filiados nem financiar a luta contra a Reforma Administrativa, ela serve para quê?

Essas são as perguntas que a categoria faz e aguarda resposta.

Destruição da gravação da reunião da Fenajufe: a quem interessa

Na linha contrária ao princípio da transparência e do direito de acesso à informação, a maioria da Diretoria da Fenajufe, em decisão inacreditável, aprovou a destruição dos registros audiovisuais da reunião do dia 25 de setembro.
Isso mesmo: os grupos politicos que dominam a Fenajufe fizeram algo que nem o governo Bolsonaro foi capaz de fazer no episódio envolvendo os arquivos de uma famosa reunião ministerial. Na época, muitos juristas e colegas do Poder Judiciário e do MPU afirmaram que tais registros não poderiam ser apagados, pois se tratava de uma reunião pública.
Ressalta-se que a reunião da Diretoria da Fenajufe também é uma reunião pública e de interesse dos Sindicatos filiados e da categoria.

Embora o Sindjus-DF defenda que questões estratégicas não devam ser divulgadas publicamente para não comprometer a ação, elas devem ser do conhecimento de todos os Sindicatos filiados, bem como o debate a respeito de questões da categoria devem ser disponibilizados aos servidores.

A destruição das gravações das reuniões da Federação revela-se uma prática no minimo obscura, além de violar o direito à informação dos sindicatos filiados à Fenajufe e da nossa categoria, em geral.

Desperdiçando o tempo que deveria ser utilizado para debater a Reforma Administrativa, parte da Direção da Fenajufe pautou e aprovou o disparate de destruição dos registros da reunião de sexta-feira, fato que envergonha aqueles que defendem o Estado Democrático de Direito e deixa no ar as seguintes dúvidas:

Por que a categoria não pode saber o que é discutido no âmbito da Federação?
O que há de tão sigiloso que precisa ser destruído?

O Sindjus-DF, que defende transparência total e realiza suas reuniões de Diretoria ao vivo pelo seu canal do Youtube, denuncia e repudia a prática obscura de destruição dos registros de reuniões, como lamentavelmente foi decidido na última sexta-feira (25/9).

🔥154 Total de Visualizações