Nível superior para técnicos, democratização dos planos de saúde e outros temas foram destaque durante a tarde do 8º Congresso do Sindjus-DF

Durante todo período da tarde deste sábado (3/10), no 8º Congresso do Sindjus-DF, os filiados apreciaram e deliberaram sobre as propostas de teses, resoluções e moções. Ao todo, foram 20 propostas, que versaram sobre reforma administrativa, criação da polícia judicial do MPU, nível superior para técnico judiciário, democratização dos planos de saúde e outros.

O diferencial esse ano foi o formato dos debates e votações. Por ser um evento virtual, as teses, resoluções e moções eram apresentadas na plataforma on-line e o proponente tinha um espaço para defender sua proposta. Após isso, os filiados puderam votar, na própria plataforma, de forma ágil e democrática.

Um dos temas que ganhou destaque durante os debates foi a reivindicação para que o Sindjus convoque amplamente os servidores do Judiciário e do MPU no DF, a fim de definir um planejamento estratégico para mudança do nível de escolaridade do cargo de técnico judiciário.

Outro tema que ganhou os holofotes do 8º Congresso do Sindjus-DF foi a democratização dos planos de auto-gestão em saúde, de autoria do servidor Laércio dos Reis. Na proposta, o servidor pede ampliação da participação da categoria nos órgãos de gestão. Por 53 votos favoráveis, três contrários e duas abstenções, a proposta foi aprovada.

Na sequência também foi apresentada proposta sobre a ilegalidade na contratação de terceirizados para as áreas de segurança e transporte do judiciário, união e MPU. De acordo com o proponente Laércio dos Reis, a proposta visa precarizar o serviço público, contratando comissionados e terceirizados em detrimento de aprovados em concurso público. A proposta também foi aprovada com 50 votos a favor, três contrários e 1 abstenção.

Ao todo, os filiados do Sindjus apreciaram e deliberaram sobre 16 propostas. Os debates do Congresso continuam durante domingo (4/10). Participe!

🔥214 Total de Visualizações