O brilhante trabalho da polícia judicial durante as Eleições Municipais 2020

A Polícia Judicial mostrou que a excelência da sua atuação não se limita ao trabalho interno nos Tribunais. Durante as Eleições Municipais de 2020, a polícia, que foi regulamentada pela Resolução Nº 344, do Conselho Nacional de Justiça, no dia 9 de setembro de 2020, ampliou esforços e realizou, em todo país, um grande esquema de segurança que garantiu a proteção coletiva da população e a ordem durante o pleito.

Em Brasília, as Polícias Judiciais do TSE, do Supremo Tribunal Federal (STF), do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) reforçaram a segurança de usuários e autoridades que frequentaram as dependências do edifício-sede da Corte Eleitoral, entre os dias 15 e 29 de novembro.

“Antigamente nós tínhamos que recorrer à Polícia Militar para garantir a segurança em casos de manifestações,   protestos e outros eventos. Agora nós começamos a atuar de forma integrada com outros órgãos do Poder Judiciário para fazer a nossa própria segurança e garantir uma certa independência em eventos importantes”, enfatizou Edilson Ricardo, agente de polícia judicial do TSE filiado ao Sindjus-DF.

O trabalho de segurança foi coordenado pela Assessoria Especial de Segurança e Inteligência do TSE e incluiu pessoal especializado, apoio operacional, suporte logístico, armamento, viaturas e equipamentos disponibilizados pelos parceiros. Ao todo, 27 profissionais de segurança do TSE fizeram parte da ação.

“ Estamos diante de um corpo de servidores altamente qualificado, empenhado e em busca de mais especialização, para proteger a população e garantir a segurança ostensiva do Poder Judiciário. A regulamentação da polícia judicial cria condições para que os Tribunais trabalhem em harmonia e desempenhem seu papel institucional com tranquilidade e segurança”, enalteceu Costa Neto, coordenador-geral do Sindjus-DF.

A equipe ainda atuou na visita do presidente e do vice-presidente do TSE, ministros Luís Roberto Barroso e Luiz Edson Fachin, ao Colégio Militar Fernando Pessoa, em Valparaíso-GO, quando as autoridades fizeram a demonstração das novas tecnologias para o voto no âmbito do projeto Eleições do Futuro.

De acordo com Roniel Andrade, coordenador judídico do Sindjus-DF e presidente da Associação Nacional dos Agentes de Polícia do Poder Judiciário da União – Agepoljus, essa ação conjunta contribuiu para a padronização da atuação da polícia judicial. “Essa prática de ação conjunta que aconteceu aqui no Distrito Federal é uma bandeira antiga dos agentes de polícia, para que a gente consiga avançar mais na uniformização de procedimentos”, assegurou.

Atuação no Amapá

Os agentes da Polícia Judicial também atuaram, no último dia 6 de dezembro, na segurança do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, que esteve em Macapá para as Eleições Municipais. O pleito foi adiado devido à crise energética que atingiu o estado no mês de novembro.

A operação de segurança foi coordenada por Igor Tobias e acompanhada pelos agentes de polícia Paschoal e Edilson Ricardo, servidores do TSE e filiados ao Sindjus-DF.

🔥420 Total de Visualizações