Diretoria da ESMPU determina retorno ao teletrabalho

Em portaria emitida neste sábado (27/2), o diretor-geral da Escola Superior do Ministério Público (ESMPU), Paulo Gustavo Gonet Branco, deliberou pelo imediato retorno ao regime de teletrabalho, de forma provisória, a partir de 1° de março.

O coordenador-geral do Sindjus-DF, Costa Neto, já havia solicitado retorno às atividades remotas em reunião ocorrida no início da semana passada. Costa Neto destacou que “a medida adotada reflete a sensibilidade da Diretoria do órgão “neste momento delicado que estamos vivendo, que tem deixado a sociedade apreensiva”.

Somente funcionarão os setores em que a atividade presencial seja imprescindível, como segurança patrimonial, manutenção predial e brigadistas. Além disso, a Diretoria-Geral, os Secretários e a Assessoria Jurídica poderão convocar, em caráter excepcional, servidores individualmente especificados e previamente comunicados, para colaboração presencial, se o interesse do serviço o demandar.

Retrospectiva

Na semana passada, em reunião com a Direção da ESMPU, o Sindjus-DF levou preocupação com o retorno aos trabalhos presenciais naquele órgão.

O coordenador-geral do Sindjus-DF, Costa Neto, esteve, na segunda-feira (22/2), em reunião na Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU), para defender a manutenção do teletrabalho para os servidores.

Costa Neto foi recebido pelos diretores-gerais da ESMPU Paulo Gustavo Gonet Branco e Manoel Jorge e Silva Neto, e pelo Secretário de Educação, Conhecimento e Inovação Carlos Vinícius Alves Ribeiro, além da Assessoria da Escola, que falaram sobre os diversos protocolos sanitários que vêm sendo adotados na Escola.

Na ocasião, a diretoria da ESMPU apresentou as instalações da Escola, que possuem áreas amplas e ventiladas, e argumentou que a estrutura reduz as chances de transmissão do vírus. “Todavia, defendemos a manutenção do teletrabalho como meio de prevenção e proteção dos servidores, em todos os locais de trabalho, até a completa imunização de todos”, destacou Costa Neto.

Naquele momento, de acordo com o diretor-geral da ESMPU, considerando os cuidados adotados, entendeu-se ser possível o retorno gradual ao presencial de forma segura. Ele enfatizou, nesse ponto, as funções administrativas que se desenvolvem na ESMPU, indispensáveis para que se cumpra a missão de capacitação de membros e servidores.

Argumentou, ainda, que essa preocupação também tem motivado a Procuradoria-Geral da República (PGR) e o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Costa Neto agradeceu a receptividade de toda diretoria da ESMPU e a disposição em manter o espaço de diálogo aberto para discutir as demandas da categoria. O coordenador do Sindicato ainda solicitou que, periodicamente, a Escola disponibilize relatório com todas as medidas que estão sendo adotadas na área de saúde para impedir a disseminação do vírus.

Ao final, o coordenador-geral do Sindicato reiterou o posicionamento pela manutenção do teletrabalho como regra até que todos estejam vacinados. “Nossa preocupação perdura para manter a integridade, saúde e vida dos servidores, e vamos continuar acompanhando essa questão em todos os órgãos do Judiciário e do Ministério Público”, finalizou.

🔥45 Total de Visualizações