Ato Normativo do CNJ estabelece padronização da Identidade Visual para Polícia Judicial

Foi aprovado, durante a 81ª Sessão Virtual do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ato normativo que estabelece nova identidade visual para os Inspetores e Agentes da Polícia do Poder Judiciário. A padronização da identidade visual é um conjunto de símbolos e elementos gráficos utilizados para identificar a Polícia Judicial e representar seus valores.

A nova identidade visual contempla desde os uniformes, até acessórios de identificação, como carteira policial e a lapela. A adesão da nova identidade visual visa facilitar o reconhecimento dos agentes perante os servidores e à sociedade, além de valorizar a categoria.

“Em síntese, padronizar os elementos e símbolos que promovem uniformidade no reconhecimento dos servidores com atribuições de policiamento e segurança no âmbito do Poder Judiciário, assim como fortalecer a identidade institucional da categoria com o estabelecimento de padrões de identidade visual para os uniformes, acessórios, distintivos e equipamentos de proteção a serem utilizados”, afirmou o conselheiro Mário Guerreiro, relator do processo junto ao CNJ.

A minuta da resolução também define quatro tipos de uniformes para os Inspetores e Agentes da Polícia Judicial. São eles: traje social para as atividades na área administrativa e segurança de autoridades; operacional quando no desempenho da função interna e externa; para instrutor de uso exclusivo em ações de capacitação relacionadas à segurança institucional e de educação física para os testes de condicionamento físico referentes à manutenção da GAS.

“Comemoramos mais esse avanço para a Polícia Judicial, pois sabemos da importância de se manter uma padronização perante a sociedade, além de reduzir custos, já que os uniformes e os documentos de todos os tribunais seguirão o mesmo padrão”, pontuou o Coordenador Jurídico do Sindjus-DF e Presidente da Agepoljus, Roniel Andrade.

Relembre

No último dia 24 de fevereiro, o coordenador-geral do Sindjus-DF, Costa Neto, e o coordenador Jurídico do Sindjus-DF e presidente da Agepoljus, Roniel Andrade, estiveram com o relator do processo para tratar da padronização.

Outra demanda que permanece sendo acompanhada pelo Sindicato é a ampliação do porte de armas para os Agentes da Polícia Judicial.

🔥512 Total de Visualizações