Sindjus-DF se reúne com Anamatra e alinha atuação conjunta para adiamento da análise do projeto de reestruturação da Justiça do Trabalho

A diretoria do Sindjus-DF esteve reunida, na manhã desta quarta-feira (23/6), com o presidente da Anamatra, Luiz Antonio Colussi, e os diretores Valter Pugliese e Marco Aurélio Treviso, a fim de tratar do projeto de reestruturação da Justiça do Trabalho.

Participaram da reunião os coordenadores-gerais do Sindjus-DF Costa Neto e Chico Vaz e o coordenador Jurídico Cledo Vieira.

Na ocasião, a diretoria do Sindicato discorreu sobre a preocupação com as consequências das mudanças para os servidores do primeiro e segundo graus.

No início do encontro, Cledo apontou que muitos servidores têm procurado do Sindicato com receio de que o projeto de reestruturação traga prejuízos para toda categoria, tornando algumas áreas menos atrativas para os servidores.

“Temos recebido várias sugestões e reclamações dos servidores, em especial das Secretarias, que têm receio de que a redução das gratificações reduza o número de servidores interessados e, consequentemente, reduza a mão de obra nas Secretarias de Base”, pontuou Vieira.

O coordenador-geral do Sindjus-DF, Costa Neto, apresentou a preocupação dos servidores com a questão da readequação dos quadros, redimensionamento e realocação dos recursos humanos.

“Precisamos ter muito cuidado para não deixar a Justiça do Trabalho sofrer do mal que assolou a Justiça Eleitoral, que teve sua estrutura reduzida em 2017, com a extinção de cerca de 30% das Zonas Eleitorais de todo país, e deixar de prestar esse serviço tão essencial à população”, disse Costa Neto.

O coordenador-geral ainda pontuou a necessidade de maior discussão sobre o assunto. “Precisamos debater melhor com todas as entidades presentes e, se possível, adiar a deliberação, análise e apreciação da proposta de resolução”, disse Costa Neto.

Alinhado com o discurso de Costa Neto, o coordenador-geral Chico Vaz também argumentou que é preciso ter cuidado para que essa mudança não gere retrocesso.

“Como servidor do STJ, eu acompanhei, desde maio de 1989, várias transformações e o que a gente tem percebido é uma diminuição considerável na quantidade de funções na área meio, causando apreensão entre aqueles que laboram nas áreas administrativas”, disse o coordenador.

“Isso gera uma sensação de desvalorização e um desestímulo para os servidores da área meio continuarem exercendo suas funções”, completou Chico Vaz.

O presidente da Anamatra concordou com o que foi apresentado pelo Sindjus-DF e ressaltou que em todas as conversas sobre o projeto de reestruturação, a entidade tem ressaltado a necessidade de mais prazos e de abertura de diálogo. “É o momento também dos conselheiros assumirem a condução do processo”, completou Luiz Antônio Colussi.

Os dirigentes da Anamatra informaram que a entidade vai redigir documento pedindo o adiamento da tramitação do projeto de reestruturação, com a finalidade de ter maior debate sobre o assunto.

O Sindjus-DF encaminhará ainda hoje ofício solicitando o adiamento, de modo a permitir maior debate sobre o tema, aclarar uma série de dúvidas a respeito e apresentar propostas de melhorias ao texto, que contemplem as reivindicações dos servidores.

🔥187 Total de Visualizações