Sindjus-DF protesta contra PEC 32 em marcha que ecoou a indignação dos servidores pela Esplanada dos Ministérios


O Sindjus-DF participou, nesta terça-feira (3/8), do primeiro ato presencial do segundo semestre contra a Reforma Administrativa, juntamente com entidades de todo o Brasil, que enviaram representantes à Brasília, construindo uma manifestação muito forte e organizada, que demonstrou a resistência dos servidores públicos e o crescente potencial dessa mobilização.

O ato é resultado do Encontro Nacional das Trabalhadoras e Trabalhadores do Serviço Público das Três Esferas, que também aprovou uma greve geral para o dia 18 de agosto. Pelo Sindjus-DF, participaram do ato que começou no Museu Nacional e terminou no Congresso Nacional, os coordenadores Cledo Vieira, Gisele Sérgio e Iveraldo Soares.

Com deputados e senadores retornando às atividades no Congresso Nacional após o período de recesso, uma massa de servidores com bandeiras, faixas e banners protestou contra a PEC 32/02, repudiando, por exemplo, os ataques à estabilidade e aos concursos públicos. Foi um ato bastante participativo, que, sem dúvida alguma, deu o seu recado. Se a bancada governista imaginou que seria fácil aprovar essa reforma, enganou-se, pois os servidores provaram neste ato que não vão desistir dessa luta.

Para o coordenador Cledo Vieira, levando em conta as atuais circunstâncias (pandemia e retorno do recesso), a marcha reuniu uma quantidade expressiva de pessoas: “Não me lembro de uma marcha desse tamanho nem na luta contra a Reforma da Previdência. Os servidores estão de parabéns, pois estão abraçando essa luta que é de todos nós, entendendo que a construção de um grande movimento nas ruas e nas redes sociais é fundamental para barrar esse ataque”, afirmou.

O Sindjus-DF tem participado ativamente da luta contra a Reforma Administrativa em várias frentes de combate, dentro e fora do Congresso Nacional. O Sindicato entende a importância dessa campanha contra a PEC 32 estar presente em todos os locais de trabalho do Poder Judiciário e do MPU, bem como em todos os órgãos públicos, de modo que o funcionalismo – nas esferas Federal, Estadual e Municipal – se mobilize contra essa política de desmonte da máquina pública que o ministro da Economia Paulo Guedes insiste em colocar como prioridade para satisfazer os interesses do mercado financeiro.

Como encerramento do ato, representantes da organização do Encontro Nacional das Trabalhadoras e Trabalhadores do Serviço Público das Três Esferas protocolaram o Manifesto dos Servidores, na Câmara dos Deputados.

Importante esclarecer que todos os cuidados necessários para evitar a contaminação de Covid-19 foram tomados durante a realização do ato e que o fato dos servidores estarem sendo vacinados fortalece a luta nas ruas.

 

 

 

🔥55 Total de Visualizações