Sindjus-DF e Sindilegis se reúnem com gabinete da deputada Bia Kicis para tratar da PEC 32

A luta contra aprovação da PEC 32/2020 continua. Na tarde desta quarta-feira (6/10), o coordenador-geral do Sindjus-DF, Costa Neto, juntamente com o presidente do Sindilegis, Alison Souza, e o diretor de Benefícios Petrus Elesbão, estiveram reunidos com os assessores da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) para atuar no convencimento contra a Reforma Administrativa.

Costa Neto deu início ao encontro explicando que as entidades têm feito um intenso trabalho corpo a corpo contra aprovação da PEC, sobretudo em cima da 7ª versão da proposta, que traz diversos pontos altamente nocivos ao serviço público.

“O que a gente viu foi a construção de um relatório que atinge a estrutura do Serviço Público brasileiro. E tudo que atinge o serviço público atinge diretamente o Distrito Federal, especialmente no que diz respeito à economia, geração de empregos e renda e prestação de serviços à população”, explicou Costa Neto, tendo em vista que a deputada representa a capital federal.

Na avaliação do presidente do Sindilegis, entre os malefícios da proposta está o ataque frontal à eficiência no Serviço Público. “A PEC 32 vem dentro de uma ideia de Estado Mínimo, no entanto, o Estado precisa ser eficiente, independentemente do formato dele. E o que a PEC faz é apontar para um Estado Mínimo, mas de uma forma escandalosamente deficitária”, lamentou Alison Souza.

Para o diretor de benfícios do Sindilegis, Petrus Elesbão, a aprovação da PEC 32 será um prato cheio para os políticos corruptos se perpetuarem em cargos públicos. “Uma vez que as carreiras possan ficar nas mãos dos gestores, os gestores nunca mais saem, pois o conjunto de cabo eleitoral vai estar todo na mão do Executivo”, pontuou.

Ao final do encontro, Costa Neto entregou aos assessores da deputada kit do Sindjus-DF e nota técnica elaborada pela entidade contendo argumentos contra a reforma.

🔥78 Total de Visualizações