Abertura do segundo dia do Encontro de Técnicos destaca a importância de se reduzir as desigualdades entre técnicos e demais carreiras

O segundo dia do Encontro Nacional dos Técnicos do Poder Judiciário e Ministério Público da União, que ocorreu na manhã do último sábado (5/2), em Vitória- ES, promoveu ricos debates acerca da alteração do requisito de escolaridade para ingresso no cargo de Técnico do PJU e do MPU para o Nível Superior e garantiu a compilação das propostas em uma carta que vai balizar as ações das entidades nos próximos meses.

A mesa de abertura do segundo dia de trabalho contou com a participação do presidente do Sinpojufes, Hudson Cavalcante Borges, do coordenador-geral do Sindjus-DF, Costa Neto, do diretor Administrativo da ASSTJ, Alcides Carvalho, do diretor Administrativo do Sintrajufe-Ceará, Fábio Sabóia, e do presidente da Agepoljus, Roniel Andrade.

O coordenador-geral do Sindjus-DF, Costa Neto, em seu discurso, destacou a importância de se reduzir as desigualdades entre os técnicos e demais carreiras e apontou a relevância do encontro para definir estratégias em torno das propostas.

Costa Neto ainda foi enfático ao afirmar que o Sindjus-DF vai lutar pelo que for deliberado pela categoria nos seus espaços próprios de discussão. “Que todos saibam: é um encontro de alta magnitude e assim deve ser tratado. Nós vamos apoiar e vamos dar prosseguimento ao que a nossa categoria deliberar. Esse é o nosso compromisso”, destacou Costa Neto.

O presidente do Sinpojufes, Hudson Carvalho, informou que, embora as bases sejam diferentes, a categoria é a mesma, por isso é importante a união das entidades em todo das discussões. O presidente destacou que é importante fortalecer não apenas os Sindicatos, mas também as associações.

Carvalho ainda avaliou que é preciso que os técnicos se mobilizem e estejam presentes nos debates, pois só assim vai ser possível garantir o avanço das discussões. Para ele, o NS para Técnico não se trata de valorização e sim reconhecimento e sobrevivência. “Valor nós já temos e mostramos isso todos os dias”, pontuou.

O diretor administrativo do Sintrajufe-Ceará pontuou que a entidade defende o NS puro, para que, em seguida, seja discutido o Plano de Carreira. “O NS vem para corrigir uma distorção histórica”, disse.

Alcides Carvalho, Diretor Administrativo da ASSTJ, destacou que a união é imprescindível para garantir o pleito. “O administrador adora ver o administrado pedindo coisas separadamente. Precisamos defender uma posição única”, avaliou.

O presidente da Agepoljus, Roniel Andrade, discursou no sentido de defender incondicionalmente o nível superior para Técnicos.

🔥969 Total de Visualizações