Sindjus-DF convida você a fazer parte do ato pela inclusão no Dia Mundial da Conscientização do Autismo

Neste sábado (2/4), celebramos o Dia Mundial da Conscientização do Autismo, uma data importante para reafirmar nossa luta em relação ao avanço e à efetivação dos direitos dos jovens e adultos com Transtorno do Espectro Austista. Segundo a Organização Mundial de Saúde, uma em cada 160 crianças tem o TEA. No Brasil, a estimativa é que existam 2 milhões de autistas.

Para marcar essa data, o Sindjus-DF, por meio de seu Núcleo de Inclusão, convida todos os servidores/pais de autistas para um grande ato em frente ao Congresso Nacional, às 17h. A orientação dos organizadores do evento – Movimento Orgulho Autista Brasil (MOAB) – é que os participantes levem um balão azul.

A fundadora do Núcleo de Inclusão do Sindjus-DF, servidora do TJDFT e mãe de um autista adulto, Sheila Tinoco, salienta a importância de irmos às ruas. “Nossos filhos requerem cuidados diários. Todo dia é dia de cuidar, de acolher, de amar. Mas, o dia 2 de abril, é uma data oficial criada para ajudar na conscientização da população sobre o autismo e também para nos unirmos em prol do respeito aos autistas e seus direitos. Neste sábado, estarei no ato, pois só por meio da nossa mobilização vamos conseguir fazer do Brasil um país melhor para os nossos filhos”.

Para o coordenador de Assuntos Jurídicos do Sindjus-DF Cledo Viera, que é pai de gêmeos autistas, este ato é, sobretudo, um ato de amor. “Quero convidar para este evento não só os servidores autistas e os pais de servidores autistas, mas os servidores com deficiência, os pais de pessoas com deficiência, os apoiadores de um mundo mais inclusivo, para juntarmos nossas forças, neste sábado, colorindo a Esplanada dos Ministérios de azul. Não dá para falar de inclusão sem falar de união, então, vamos todos juntos, com solidariedade e altruísmo, lutar por políticas públicas inclusivas e ações afirmativas. Enquanto uns promovem a guerra, nós queremos promover o amor ao próximo, o respeito às diferenças, a inclusão verdadeira”.

Segundo a coordenadora de Integração Sociocultural do Sindjus-DF, Gisele Sérgio, “a pessoa com deficiência não quer privilégios, mas, ao contrário, condições de viver com dignidade e, além da devida atenção para suas necessidades, isso perpassa por viabilização de melhores condições de trabalho, acessibilidade, bem como o devido respeito enquanto ser humano, porquanto nossa luta é para que as pessoas com deficiência possam viver em uma sociedade que as acolha respeitando suas limitações, seja na ocupação dos espaços de trabalho, seja nas escolas ou na prática de outras atividades inerentes à sua qualidade de vida”.

A coordenadora afirma ainda que a Lei 12.764 de 27/12/2012 representa uma grande vitória para as pessoas com TEA, pois foi a partir de então que os autistas passaram a ser considerados, para todos os efeitos legais, pessoas com deficiência, porquanto merecedoras de maior atenção e de criação de medidas específicas e adequadas para sua melhor qualidade de vida .

🔥304 Total de Visualizações