Dia do Orgulho Autista é uma data de celebração e luta por respeito aos direitos e à neurodiversidade

Hoje, 18 de junho, celebramos o Dia Mundial do Orgulho Autista, criado para fins de desmistificar o autismo e conscientizar a sociedade sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), além de normalizar a neurodiversidade, de modo que as diferenças neurológicas que fazem parte da vida de muitas pessoas possam ser respeitadas.

O Dia Mundial do Orgulho Autista foi instituído em 2005 e conta com a adesão do Núcleo de Inclusão do Sindjus-DF, que desde 2017 atua em várias frentes por um mundo mais justo e inclusivo. É um dia para nos orgulharmos dos nossos autistas, enfatizando à sociedade que não se trata de uma doença, mas de pessoas que apresentam condições e características especiais.

Para o Sindjus-DF, a data também é um lembrete à importância de trabalharmos juntos pela valorização das pessoas autistas, que necessitam ter seus direitos respeitados e ser compreendidas em suas diferenças. Em uma sociedade que busca a padronização, é crucial se trabalhar a aceitação da diversidade humana. Ninguém é ou precisa ser igual a ninguém.

Em um passado recente, o Sindjus-DF e o MOAB uniram forças pela aprovação do projeto que resultou na lei que acrescentou a pessoa com TEA na relação de prioridade de atendimento. O Sindicato lutou para efetivar essa vitória nas dependências do PJU e MPU, fazendo a diferença na vida de muitas pessoas.

Outra campanha importante desenvolvida pelo nosso Sindicato, que contou com atos e reuniões, foi para incluir dados sobre autismo no Censo 2020 (Lei 13.861/19). Contudo, os Censos de 2020 e 2021 foram cancelados em razão da pandemia de Covid-19 e falta de orçamento. O Censo Demográfico 2022 está agendado para começar em agosto e pela primeira vez traz a seguinte pergunta em seu questionário de amostra: “Já foi diagnosticado(a) com autismo por algum profissional de saúde?”. É a primeira vez que a pesquisa vai quantificar as pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Brasil. A obtenção desse dado é essencial para a formulação de políticas públicas para o autismo.

O Sindjus-DF vem batalhando em favor do horário especial, buscando garantir que os servidores que são pais/mães/responsáveis por autistas/ pessoas com deficiência possam ter sua jornada reduzida pela metade. O Sindicato entende o quanto essa pauta é fundamental e não tem poupado esforços para suspender os efeitos da Resolução CSJT nº 308/2021, que vem trazendo uma série de obstáculos ao estabelecimento dessa jornada diferenciada, que é legítima.

A luta pela inclusão é contínua e cabe a todos nós!

🔥974 Total de Visualizações