Ato do Sindjus-DF pela recomposição salarial tem adesão da categoria e repercute nos corredores e gabinetes do STF

Filiados do Sindjus-DF estiveram concentrados, nesta quinta-feira (23/6), em frente ao Supremo Tribunal Federal, para cobrar reajuste para os servidores do Poder Judiciário e MPU. Com palavras de ordem, bandeiras empunhadas, cartazes e faixas, os servidores alertaram: se não houver reajuste o Judiciário vai parar.

O coordenador-geral do Sindjus-DF, Costa Neto, cobrou uma imediata ação do STF para recomposição dos salários dos servidores.

“É preciso sair da inércia e assumir a responsabilidade de recompor o salário dos servidores do Poder Judiciário. O que falta é disposição, pois orçamento tem e já está comprovado. Há que se ter respeito com os servidores. Esse é o primeiro ato de muitos que virão. E, se necessário, faremos paralisação e greve geral”, alertou Costa Neto.

O coordenador ainda lamentou a indisposição do governo em negociar com a categoria. Costa Neto destacou que mais da metade dos salários dos servidores já foi corroída pela inflação por falta de recomposição.

“Coloquem a mão na consciência e saibam que aqui estão servidores que merecem respeito e valorização”, disse.

Um dos gritos de guerra entoados pelos manifestantes causou especial incômodo aos ministros da Suprema Corte quando ouviram: “STF, pare de omissão, sem recomposição não vai ter eleição!”

Ainda no período da tarde, os coordenadores do Sindjus-DF participaram de reunião com o Diretor-Geral do STF, Edmundo Veras. Continue acompanhando o site para detalhes.

 

🔥1.9 K Total de Visualizações