Chefe de Gabinete do PGR afirma ao Sindjus que MPU deve encaminhar projeto de reajuste de 18%

Recentemente, o Sindjus, representando pelos coordenadores Cledo Vieira e Anderson Ferreira, reuniu-se com o Chefe de Gabinete do PGR, o procurador Darlan Airton Dias, para tratar das seguintes questões de interesse da categoria: recomposição salarial, reajuste dos auxílios alimentação e pré-escolar, NS e organização da Polícia do MP.
O CNMP havia aprovado proposta de recomposição salarial com índice de 13,5% em três parcelas. No entanto, quando o Poder Judiciário aprovou sua proposta na ordem de 18%, em quatro parcelas, o Sindjus passou a fazer gestões junto aos ramos do Ministério Público da União em defesa da equiparação dos índices, uma vez que PJU e MPU são carreiras coirmãs.

Os dirigentes defenderam a atuação dos valores da recomposição salarial e também dos auxílios alimentação e creche, de modo a preservar essa isonomia entre as carreiras.

O procurador afirmou que o MPU pretende encaminhar projeto de reajuste ao Congresso Nacional com o índice de 18%, nos moldes da proposta do Poder Judiciário. No que diz respeito aos auxílios alimentação e pré-escolar, Darlan Dias também afirmou que o MPU deve seguir o mesmo índice proposto pelo Poder Judiciário, de 32,27%.

Cledo Vieira parabenizou a iniciativa do MPU, que foi quem primeiro se movimentou para a saída do congelamento, aprovando uma proposta de 13,5% de reajuste salarial.

NS
Os coordenadores discorreram sobre a aprovação no Congresso Nacional, no dia 29 de agosto, do NS para técnicos do Poder Judiciário. O chefe de gabinete do MPU afirmou que tinha tomado conhecimento dessa questão e que considera importante esse avanço.

Cledo Vieira informou que participa da Comissão de Carreira do MPU, que, na visão dele, tem trabalhado de forma bastante ágil, tendo já deliberado e encaminhado vários pontos importantes, bem diferente do Fórum de Carreira instalado pelo CNJ, que está há quase sete meses sem realizar uma reunião. O dirigente ressaltou que a Comissão de Carreira do MPU fez o encaminhamento à Alta Administração da proposta de reajuste salarial de 18%, com a adoção do NS para Técnicos e da nomenclatura de Consultor para Analistas.

Polícia do MP
O coordenador de Administração e Finanças do Sindjus Anderson Ferreira, que é agente e instrutor da Policial Judicial, explicou que a Polícia Judicial tem avançado muito e ganhado o devido reconhecimento. Salientou que os policiais judiciais têm melhores condições de atuar na segurança dos dignatários, servidores e cidadãos que frequentam os tribunais, pois são conhecedores da instituição. No entanto, afirmou que mesmo com os resultados positivos obtidos no âmbito do Poder Judiciário essa matéria não foi acatada pelo CNMP da mesma forma que pelo CNJ. O dirigente informou que o Sindjus já recorreu ao PGR, Augusto Aras, para resolver esse impasse, pois, segundo ele, a organização da Polícia do MP é fundamental.

Anderson também levou ao chefe de gabinete a insatisfação dos agentes de segurança do MPU com o TAF (Teste de Aptidão Física) que vem sendo aplicado, pois quase dobra os índices a serem alcançados pelos agentes no TAF em relação aos mesmos índices praticados em média no PJU.

Além disso, o Coordenador de Administração do Sindjus-DF, também enfatizou que na regulamentação do TAF ficou previsto que aqueles que não se submeterem ou não forem aprovados no TAF dois anos seguidos, podem ser readaptados, medida essa que se apresenta extremamente gravosa aos servidores que acabariam sendo penalizados duas vezes, pois deixam de receber a GAS e ainda passam a serem considerados inservíveis para exercer as atribuições de seu cargo.

Darlan Dias ouviu os argumentos apresentados pelo Sindicato e ficou de levar essas questões-organização da Polícia do MPU e TAF – para o PGR.

Fortaleça o seu Sindicato. Filie-se ao Sindjus!

🔥771 Total de Visualizações