Sindjus trata da recomposição salarial da nossa categoria com assessor técnico do orçamento 2023


Nesta segunda-feira (17/10), no gabinete do Senador Marcelo Castro, que é o relator da PLOA 2023, o coordenador-geral do Sindjus Costa Neto se reuniu com o assessor técnico da relatoria-geral, Romero Arruda, para tratar da recomposição salarial dos servidores do Poder Judiciário e do MPU. O presidente do Sindilegis Alison Souza também participou da reunião, além da assessoria parlamentar das entidades.

Romero Arruda fez uma análise da conjuntura em relação à PLOA, destacando que o orçamento para o ano de 2023 é um projeto desafiador por inúmeras questões, sobretudo, pelas imposições oriundas do teto de gastos. Também informou que os rumos do orçamento guardam relação direta com o resultado do segundo turno das eleições presidenciais.

O Sindjus apresentou e defendeu os PLs 2441 e 2442, ambos de 2022, que tratam, respectivamente, da recomposição salarial dos servidores do PJU e MPU.

Romero Arruda explicou que em razão da disponibilidade orçamentária do Poder Judiciário e do MPU, que conseguiram equacionar e escalonar os valores para permitir a recomposição, do ponto de vista estritamente técnico, não haveria maiores empecilhos para o alcance do pleito. Contudo, enfatizou que sob o ponto de vista da isonomia com os outros poderes e da repercussão política do caso, essa demanda pode exigir maiores debates.

Ao final do encontro, foi acertada uma nova reunião para maior troca de informações e detalhes sobre o tema.

Para Costa Neto, a reunião foi bastante animadora. “O Sindjus está se movimentando de forma estratégica para garantir a recomposição salarial da nossa categoria. Foi importante levar a nossa demanda ao assessor técnico do orçamento 2023, colher as informações técnicas e sua avaliação sobre os desafios que vamos enfrentar. Estamos muito confiantes e vamos seguir firmes na luta para transformar os PLs 2441 e 2442 em realidade”.

Fortaleça o seu Sindicato! Filie-se ao Sindjus!

 

🔥828 Total de Visualizações