Sindjus participou de webinário do CNJ sobre a Resolução nº 219/2016

O Sindjus participou do webinário “Resolução CNJ n. 219/2016 – Comitê Gestor da Política Nacional de Atenção Prioritária ao Primeiro Grau de Jurisdição”, que acontece nos dias 10 e 11 de maio, em formato híbrido, presencial no auditório do CNJ e ao vivo pelo Youtube. A resolução dispõe sobre a distribuição de servidores, de cargos em comissão e de funções de confiança nos órgãos do Poder Judiciário de primeiro e segundo graus.

A programação começou com uma palestra sobre a construção da política de priorização, seguida de discussão acerca dos desafios para implementar as políticas públicas relativas à priorização do primeiro grau de jurisdição.

O coordenador-geral do Sindjus, Abdias Trajano, participou do evento e fez uma fala no sentido de defender a valorização dos servidores do Poder Judiciário e o fortalecimento da nossa carreira, com mais concursos públicos, funções comissionadas e cargos em comissão sendo ocupados por servidores de carreira, e a expansão do teletrabalho.

“Enfatizando a mobilidade e deslocalização do trabalho dos servidores, o Sindjus apoia o regime de teletrabalho, que, durante o período de crise sanitária provocado pela pandemia de Covid19, surpreendeu positivamente, com excelentes resultados, como o aumento da produtividade em diversos órgãos. Não dá para ignorar o avanço da tecnologia e sua aplicação para aprimorar o primeiro grau”, afirmou Abdias.

“Com sistemas digitais, aplicativos e ferramentas de inteligência artificial, estamos vivendo a 4º Revolução Industrial. O teletrabalho, que antes era apenas uma alternativa, já se consolida como modalidade de trabalho eficaz, com vantagens tanto para o servidor quanto para as instituições. O TJDFT, por exemplo, economizou cerca de R$ 25 milhões entre março e dezembro de 2020. Já o trabalho remoto adotado na Administração Pública Federal trouxe uma economia de aproximadamente R$ 1,5 bilhão aos cofres públicos, entre março de 2020 e junho de 2021”.

Abdias Trajano reforçou a luta contra a Resolução 481 do CNJ, de novembro de 2022, que limitou o teletrabalho no âmbito do Poder Judiciário, afirmando que não dá para ir na contramão do teletrabalho, que veio para ficar, e tem muito a contribuir com a reorganização da Primeira Instância e a melhoria da Justiça.

Nesta quinta-feira (11/5), segundo dia do webinário, está sendo realizado um diagnóstico da política nacional do primeiro grau, com debate sobre o aprimoramento da política de priorização do primeiro grau.

 

🔥255 Total de Visualizações