Sindjus promove palestra sobre Qualidade de Vida no Trabalho e aborda o combate ao Assédio no Serviço Público

Na tarde desta quarta-feira (27/9), o Sindjus promoveu uma palestra de grande relevância no Conselho da Justiça Federal (CJF), com o Subprocurador-Geral do Ministério Público do Trabalho, Francisco Gérson Marques de Lima.

O evento abordou temas sensíveis relacionados à qualidade de vida no ambiente de trabalho, especialmente quanto às relações e comportamentos entre os colegas.

De forma bem didática e descontraída, o palestrante Francisco Gérson explorou diversos aspectos relacionados ao ambiente de trabalho, como fatores necessários para que as pessoas tenham um ambiente agradável e saudável de modo a lhes garantirem, também, uma melhor qualidade de vida.

Outro ponto que despertou muita atenção dos presentes, foi quando da abordagem dos temas “assédio moral e assédio sexual”, principalmente quando se tratou das formas de assédio, dos diversos modos como ele ocorre e ainda da necessidade e da dificuldade em se denunciar, bem como da forma de como a pessoa pode evita-los ou de como proceder para obter provas a fim de punir o assediador.

Nessa parte, um dos tópicos mais destacados foi a questão do assédio no ambiente de trabalho.

O palestrante conceituou e exemplificou os diferentes tipos de assédio, explicou como a legislação lida com esse tema e mostrou ao servidor algumas formas efetivas de se obter provas quanto à possível ocorrência de assédio, seja ele sexual, moral ou institucional.

“O servidor possui diversas maneiras de documentar a prática de assédio, como por exemplo, compartilhar evidências com um colega por mensagem ou e-mail, ou mesmo reportar o ocorrido ao sindicato ou aos seus superiores, caso não seja este o assediador, de modo que é fundamental se reunir provas para evitar que tais práticas se repitam”, informou o palestrante.

Orientou ainda que, no caso da mulher, se esta se sentir assediada, que comunique imediatamente e primeiramente ao seu companheiro, para que este não venha a saber por intermédio de terceiros, o que poderia gerar uma desconfiança e, por isso, desencandear um problema sério de relacionamento, pelo fato da vítima ter-lhe ocultado tal fato.

Durante o evento, o professor Gerson apresentou exemplos concretos de casos de assédio e observou o quanto e como esse tipo de prática afeta diretamente à autoestima, à saúde mental e física dos servidores e, consequentemente, à qualidade de vida da pessoa.

Ressaltou que, infelizmente, o assédio é mais recorrente com mulheres e, na maioria das vezes, de forma equivocada, é encarada como elogio.

Ao encerrar sua apresentação, Dr. Gerson reiterou que o assédio no ambiente de trabalho é uma violação dos direitos fundamentais e discorreu sobre as principais punições que podem ser aplicadas aos assediadores, podendo passar por uma dessas três esferas: Administra , Cível, Penal ou pelas três, podendo chegar até à pena de reclusão de 5 anos.

O coordenador da mesa e coordenador geral do Sindjus, Chico Vaz, observou que, nos últimos anos, o sindicato tem recebido muitas reclamações de servidores, noticiando supostas ocorrências de assédios nos órgãos do PJU e MPU, daí a necessidade da realização de eventos dessa natureza para as administrações e seus servidores.

Chico Vaz ressaltou que “apesar de ser um tema espinhoso, sensível e até constrangedor, é preciso que se debata o assédio no Serviço Público, como única forma de combate-lo!”

“É fundamental que todos os servidores estejam cientes das suas obrigações, mas também è importante que saibam dos seus direitos e saibam como agir diante de situações de assédio no trabalho. O assédio é uma violação dos direitos fundamentais e deve ser combatido de forma firme e assertiva. É responsabilidade de todos nós promovermos ações para um ambiente de trabalho saudável e respeitoso para todos os colegas”, finalizou Francisco Gerson Marques Lima.

Encerrando os trabalhos, o coordenador-geral do Sindjus, Chico Vaz, reforçou a preocupação e o compromisso do Sindjus em promover eventos dessa importância e relevância para a categoria, na busca de sensibilizar as administrações a implementarem práticas que levem ao bom convívio entre gestores, chefes e subalternos, no ambiente de trabalho.

Afirmou que a implementação dessas políticas contribui sobremaneira para o atingimento da melhor qualidade de vida para todos, o que, com certeza, se reflete no melhoramento de desempenho de suas atividades e, consequentemente, na melhor qualidade dos serviços prestados à coletividade.

Além do coordenador-geral Chico Vaz, compuseram a Mesa Diretora dos trabalhos Gisele de Fátima Sérgio, coordenadora sócio cultural do Sindjus e Diretora Social da ASSTJ; Antônio Alcides de Assis Carvalho, vice-presidente da ASSTJ e Jandovi Alencar, diretor da ASSTJ e servidor do CJF.

Também estiveram presentes no evento os coordenadores do Sindjus Abdias Trajano Neto, coordenador-geral; Eiraldo Pimenta, Silvanildo Faria, Wallace Costa, Arlete Alves, Gilson Teodoro e Iveraldo Vasconcelos. O evento também contou com a presença do presidente da Associação dos Servidores Aposentados do PJU, Francisco Lima e de diversos delegados sindicais de base.

O Sindjus segue na luta pela defesa dos direitos e dos interesses da nossa categoria!

🔥151 Total de Visualizações