Sindjus participa de palestra no STJ sobre combate ao assédio e discriminação

Os coordenadores do Sindjus, Chico Vaz e Gisele Sérgio, marcaram presença, nesta terça-feira (24/10), em palestra promovida pela Comissão de Prevenção e Enfrentamento do Assédio Moral, do Assédio Sexual e da Discriminação (CPEAD) do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Além de autoridades e de diretores do Sindjus, o evento contou com a presença de vários servidores do STJ.

A palestra foi conduzida pela juíza federal da Justiça Militar, Mariana Aquino, que apresentou conceitos sobre o tema, respondeu a perguntas e ressaltou a importância do papel das comissões para apurar as notícias de casos de assédio nos órgãos do PJU.

A criação da Comissão no STJ, bem como nos demais órgãos do PJU, vem ao encontro à disposição da Resolução n. 351/2020 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), e funciona como um espaço de acolhimento, no sentido de receber a noticia, ouvir as partes e apurar os fatos, como forma de inibir a prática de assédio e discriminação entre servidores.

Para Chico Vaz, Coordenador-Geral do Sindjus, “o assédio moral é uma prática abominável que age sobre as pessoas como um câncer, que lhes dilacera o corpo e adoece a alma, tornando-as seres impotentes e sem qualquer capacidade de reação, por isso a necessidade de combatê-lo”, ressaltou.

“O assédio é um tema muito delicado de se abordar e, principalmente, de se apurar; primeiro pelo corporativismo das instituições e seus gestores e, depois, pela dificuldade da própria parte assediada noticiar o fato, ou por medo de retaliações ou por receio de passar por outras situações de constrangimentos perante os colegas de trabalho ou até mesmo nas relações familiares”, pontuou Chico Vaz.

Maria Paula Cassone Rossi, juíza auxiliar da presidência e coordenadora da Comissão, explicou que a CPEAD é um espaço de acolhimento, onde os servidores podem ficar tranquilos e à vontade para noticiar casos de assédio e discriminação; enfatizou o grau de extrema confidencialidade no trato das informações recebidas e assegurou que todas as situações levadas à Comissão serão apuradas com rigoroso sigilo.

Chico Vaz ressalta que o Sindjus tem acompanhado de perto as questões relacionadas ao assédio moral, sexual e à discriminação no ambiente de trabalho e reforça o compromisso do Sindicato na defesa do filiado, bem como para ajudar no combate a toda forma de assédio e discriminação nos órgãos do Poder Judiciário e do Ministério Público da Uniao.

🔥106 Total de Visualizações