Produtividade do Judiciário brasileiro aumentou quase 7% em 2023, reforçando a importância de se valorizar os servidores do PJU

Segundo o relatório Justiça em Números, divulgado recentemente pelo CNJ, a produtividade do Judiciário aumentou 6,9% em 2023, o segundo maior percentual da série histórica. Foram encerrados 35 milhões de processos e proferidas 33 milhões de sentenças.

Esse resultado, bastante positivo, indica também a necessidade de haver esforços no sentido de valorizar e reforçar o quadro de servidores do Poder Judiciário, que tem contribuído, sobremaneira, para esse crescimento da produtividade e com uma prestação jurisdicional de excelência.

De acordo com a publicação, foram recebidos 35 milhões de novos processos em 2023, o maior número da série histórica de quase 20 anos, com aumento de 9,4% em relação ao ano anterior. E esse dado é preocupante, uma vez que muitos órgãos estão encontrando dificuldades para reforçar seus quadros.

O Sindjus tem defendido a abertura de novos concursos públicos para a reposição e até mesmo a ampliação dos quadros em vários órgãos do Poder Judiciário, pois o aumento da demanda e da produtividade não pode implicar em sobrecarga de trabalho.

Preocupado com a saúde dos servidores, o Sindjus, inclusive nos debates sobre a proposta de reestruturação de carreira, tem destacado a importância de se pensar a redução da jornada de trabalho dos servidores do PJU e MPU.

E não há dúvida que servidores valorizados são sinônimos de produtividade e de qualidade no serviço prestado.

A publicação “Justiça em Números” reúne dados da Justiça estadual, federal, do trabalho, eleitoral e militar, assim como dos tribunais superiores. Ao todo, o Judiciário tem 91 tribunais, 18.265 juízes e 275.581 servidores.

Orgulho de ser Sindjus. Filie-se e fortaleça o seu Sindicato.

🔥202 Total de Visualizações