14 de junho: Dia Mundial do Doador de Sangue. O Sindjus apoia essa causa!

A transfusão de sangue é essencial em procedimentos médicos e cirúrgicos complexos, bem como em situações de desastres, além de também ser bastante utilizada por pacientes crônicos como os hemofílicos ou nos casos de anemia extrema. Neste 14 de junho, Dia Mundial do Doador de Sangue, o Sindjus se alia à causa no intuito de homenagear a todos os doadores de sangue e conscientizar os não-doadores sobre a importância deste ato, que tem salvado milhares de vidas em todo mundo.

Criada por iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2014, a data é uma homenagem ao nascimento de Karl Landsteiner (14/06/1868), um imunologista austríaco que descobriu o fator Rh e as várias diferenças entre os tipos sanguíneos. A diretora de Imprensa e Comunicação do Sindjus, Sônia Cardoso, sabe a importância da doação de sangue. Nesta semana que celebramos a data, ela fez a sua generosa parte. “A primeira vez que eu doei foi para ajudar uma colega de trabalho que precisou de sangue. De lá para cá eu venho doando sempre e a cada quatro meses eu faço novamente. É uma sensação gratificante, porque cada bolsa dessa, salva quatro vidas. Quem recebe o sangue, recebe um ato de solidariedade e de amor. Eu tenho uma grande satisfação e todas as vezes que eu estou doando, eu sinto paz”, incentiva a diretora.

Nossa equipe da TV Sindjus visitou a Hemoclínica de Brasília e conversou com a auxiliar de captação, Naira Souza, para saber mais detalhes sobre a doação. “O tempo mais crítico é a época de frio, que é quando os doadores têm mais dificuldade para vir realizar a doação, porque também sintomas gripais, alergia, sinusite e isso impede a doação e também por conta das vacinas. A vacina da dengue impede de doar por 30 dias. Devido a isso, os estoques ficam baixo. O mais crítico são as bolsas de O negativo, que é o doador universal, mas ele só recebe dele mesmo e sempre precisamos repor”, ressalta.

A auxiliar de captação destaca que para ser um doador é preciso ter dormido bem pelo menos 6 horas na noite anterior, ter uma alimentação saudável. “Pelo menos à noite, evitar alimentos gordurosos, quatro horas antes também. Não beber leite, derivado de leite, ovo também, por mais que o ovo seja saudável, porque ele é gorduroso e isso impede a doação. Não pode praticar atividade física no dia da doação, nem antes nem após, porque pode causar alguma reação por conta do metabolismo, que varia de pessoa para pessoa, mas por isso existe essa margem de segurança e bem-estar”, explica.

O Sindjus considera que esta data é uma ocasião importante para refletir sobre a importância de colaborar para que seja ampliado o número de doadores em todo país. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), para ser um doador de sangue é necessário seguir alguns requisitos. São eles:

  • Estar acima de 50 quilos;
  • Estar bem alimentado e descansado;
  • Ter idade entre 16 e 68 anos (homens e mulheres);
  • As parturientes devem esperar entre 90 e 180 dias após o parto;
  • Não ter Hepatite B, Hepatite C, Doença de Chagas, Sífilis, AIDS (HIV), HTLV;
  • Se estiver gripado, esperar no mínimo 7 dias após a recuperação para poder doar;
  • Após uma doação, as mulheres devem esperar 90 dias para fazê-lo novamente, já os homens devem esperar 60 dias.

O Sindjus agradece aos voluntários que já colaboram com os bancos de sangue. Sua doação gera impacto profundo na vida dos pacientes. Portanto, se você ainda não é um doador e quiser fazer parte desse gesto generoso, saiba que sua atitude será fundamental para a saúde de muitas pessoas!

Orgulho de ser Sindjus! Filie-se e fortaleça o seu Sindicato.

🔥45 Total de Visualizações