Temos todas as razões para lotar o ato de hoje na Câmara

Em 2009, depois de muita luta e greve, o nosso PCCR, que vinha sendo discutido desde 2008, foi finalmente enviado pela cúpula do Judiciário à Câmara dos Deputados. No entanto, o projeto foi enviado de forma reduzida tanto em matéria do aprimoramento da carreira, cuja discussão foi deixada para um segundo momento, quanto no que diz respeito à tabela salarial, visto que o presidente do STF na época, ministro Gilmar Mendes, havia cortado a tabela de 80 para 56% com a justificativa de que essa medida levaria nosso projeto à aprovação imediata.

Ficamos no prejuízo, pois essa aprovação não aconteceu até hoje. E os 56% que já representam muito menos do que precisávamos para recompor nossas perdas salariais e promover a equiparação salarial com carreiras análogas três anos depois surtem um efeito ainda menor. Todavia, o governo ainda insiste em protelar a concretização desse reajuste cujo percentual vem sendo corroído pela inflação e pelos aumentos a serem concedidos a outras carreiras.

Os parlamentares sempre lavaram as mãos durante esses anos todos deixando a responsabilidade pela aprovação do nosso projeto, de forma bastante cômoda, no colo do Executivo e do Judiciário. Está na hora do relator, deputado João Dado, não só apresentar, mas defender, de verdade, a aprovação de seu relatório e também do presidente da CFT, deputado Antônio Andrade, cumprir o que prometeu há meses – colocar o PL 6613/09 na pauta e votá-lo.

Vamos ao ato hoje dizer “não” à embromação, dizer “não” às medidas protelatórias, dizer “não” ao jogo de empurra. Vamos lotar o ato de hoje e dar o nosso recado: PCCR já!

🔥5 Total de Visualizações