Servidores votam pela adoção de medidas mais enérgicas relacionadas ao Pro-Social

Os servidores do TRF e da Justiça Federal, que participaram de assembleia na tarde desta quarta-feira (4/9) promovida pelo Sindjus, decidiram intensificar a luta pelo Pro-Social, tanto no que diz respeito à mobilização quanto nas ações empreendidas pelo sindicato.

DG não cumpre promessa de apresentar propostas

Essa decisão foi tomada depois que o Sindjus informou que o diretor-geral do TRF, Roberto Elias Cavalcante, após tomar conhecimento do boletim do sindicato desta semana, solicitou que os dirigentes sindicais fossem até ele antes da realização da assembleia de hoje. Importante registrar que o Sindjus solicita reunião com o diretor-geral há várias semanas. Dessa forma, na manhã desta quarta, Roberto Cavalcante, acompanhado do novo diretor da SECBE (Secretaria de Benefícios) Sérgio Três, explicou para Cledo Vieira, Sheila Tinoco e Ana Paula Cusinato que não vai fazer atender ao pedido do sindicato de adiar a implantação da Resolução nº 6 até que a proposta de alteração do regulamento do Pro-Social seja apresentada pela administração do Tribunal, de modo que ela já está valendo na íntegra, inclusive com a taxação dos dependentes, além da nova tabela de contribuição e os novos custeios.

O diretor-geral informou também que tem conhecimento das insatisfações dos servidores e que vai apresentar alterações em etapas, mas que, no que depender dele, até o início de janeiro os servidores terão um plano de saúde totalmente reformulado. Também afirmou que os servidores terão acesso à prestação de contas mensal do plano, que é publicada no site do TRF. O Sindjus argumentou que essa medida não é suficiente para dar transparência ao plano, que os servidores querem maior e efetiva representação no conselho, criação do conselho fiscal e realização de cálculo atuarial.

Ana Paula Cusinato reforçou que não é justo que um desembargador e um servidor, que ganha menos da metade do primeiro, estejam na mesma faixa de contribuição e que, por essas e outras questões, o sindicato quer tomar conhecimento das propostas em tempo hábil para conversar com os servidores e sugerir alterações se for o caso. No entanto, o DG disse que as propostas de alteração serão apresentadas aos servidores depois que forem levadas ao Conselho Deliberativo. “A falta de transparência e de participação dos servidores não mudou. A intransigência da administração é muito grande”, afirmou a coordenadora.

Para o servidor Matuzalém Braga, a postura do DG traduz o fato de que “a administração não quer que a gente saiba o que está sendo feito. Qualquer proposta apresentada será amadora, pois até agora eles não fizeram o básico que é o cálculo atuarial. Minha proposta é a judicialização”. Ana Paula explicou que, como o Sindjus já tem requerimentos nesse sentido, o caminho para o Habes Data está pavimentado.

A delegada sindical Eliane Alves, em sua fala, reforçou o desejo do conjunto de servidores que pleiteiam a substituição imediata de seu representante no Conselho Deliberativo, Maurício da Silveira Araújo. “Não podemos aceitar que a administração transforme o custeio no salvador deste programa. Hoje aprovam um custeio de 5%. Amanhã, como não foi suficiente, aprovam outro de 10%. E assim por diante. No TJDFT essa porcentagem chegou a 50%. E só com a mobilização do Sindjus e dos servidores foi reduzido para 20%”.

Grande ato na terça

Para a coordenadora Sheila Tinoco, os servidores precisam continuar mobilizados, conscientizando os colegas sobre a importância de fazer essa pressão. “Diante de uma situação como essa, em que a administração se nega a negociar e, até mesmo, a apresentar propostas para os servidores apreciarem, precisamos intensificar esse movimento. A mobilização tem feito avançar as propostas dos servidores nos planos de saúde de outros órgãos e são vocês que sustentam esse programa e o funcionamento desse tribunal”.

Importante informar que o ato será realizado na véspera de reunião do Conselho Deliberativo que votará as primeiras propostas formuladas pela administração e poucos dias depois dos contracheques revelarem os impactos da Resolução nº 6. Por isso, a mobilização de todos os servidores é fundamental para a construção de um grande ato, capaz de impedir os desmandos da administração.

Durante este ato, será feita a entrega do abaixo-assinado pela substituição do representante dos servidores no Conselho Deliberativo. Quem ainda não assinou esse documento, terá a oportunidade de fazê-lo nesta sexta (6), quando funcionários do Sindjus percorrerão todas as salas do TRF e da Justiça Federal.

Programa-se:

Terça-Feira (10/9)
13h
Em frente à sede do TRF
Ato pelo Pro-Social

🔥27 Total de Visualizações