Dia da Consciência Negra: lutando por igualdade e respeito

No dia 20 de novembro é celebrado o Dia da Consciência Negra. Uma data para reflexão e fomento da luta contra o racismo e a desigualdade racial. Também é uma oportunidade de se valorizar a cultura, a história e a importância dos afro-brasileiros na nossa sociedade.

Foi em um 20 de novembro, em 1695, que Zumbi dos Palmares foi assassinado. Zumbi foi líder do Quilombo de Palmares, o maior e mais duradouro quilombo da história do Brasil. Zumbi e Dandara dos Palmares são símbolos de resistência negra na história do nosso país.

O Brasil foi o último país do continente americano a abolir a escravidão, que deixou profundas sequelas. De acordo com o estudo “Desigualdades Sociais por Cor e Raça no Brasil”, divulgado em 2019, pretos ou pardos somavam 64,2% da população desocupada e 66,1% da população subutilizada; tinham rendimento médio pouco superior à metade do que recebem os brancos; e quase 2,7 vezes mais chances de serem vítimas de homicídio intencional do que uma pessoa branca.

Foram 388 anos de escravidão no Brasil. E a Lei Áurea, de 1888, tida como marco da abolição, não fez justiça aos negros, que se tornaram escravos da falta de oportunidades, de direitos e de condições de uma vida digna.
A luta é pelo reconhecimento de direitos da população negra, pela igualdade social e contra o preconceito racial. Essa dívida histórica necessita ser reparada, até porque não há estado democrático de direito sem o devido respeito aos direitos fundamentais de todos os cidadãos, independentemente da cor de pele ou origem.

Somos todos brasileiros. Somos todos merecedores de viver com respeito e dignidade.

O Sindjus combate e repudia toda e qualquer forma de racismo, seja ele invisível, institucional ou estrutural.

Fortaleça o seu Sindicato! Filie-se ao Sindjus!

🔥94 Total de Visualizações