Sindjus apresenta pauta e desafios do Núcleo de Inclusão em reunião com Secretário de Saúde do TJDFT

Na última terça-feira (9/1), o Sindjus realizou reunião com o Secretário de Saúde do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Tomaz de Aquino Vasco da Silva, com objetivo de discutir e apresentar algumas das dificuldades enfrentadas pelos servidores integrantes do Núcleo de Inclusão e abrir espaço para um diálogo sobre essas pautas junto à administração.

A reunião, conduzida pelo coordenador-geral do Sindjus, Abdias Trajano, contou com a participação da servidora do TJDFT e filiada ao Sindjus Sheila Tinoco, representando o Núcleo de Inclusão, e do médico Maurício de Souza.

Durante o encontro, foi realizado um resgate histórico das atividades do Núcleo de Inclusão do Sindjus desde 2018. Sheila Tinoco destacou diversas parcerias estabelecidas pelo Sindjus com entidades que apoiam a inclusão e oferecem suporte a Pessoas Com Deficiência. “O Sindicato tem sido essencial nessas lutas, e essas parcerias, tanto locais quanto nacionais, têm contribuído para consolidar nossas demandas”, afirmou Sheila Tinoco.

Desafios Enfrentados e Ações do Sindjus

Uma das preocupações levantadas durante a reunião foi o indeferimento, por parte da Perícia Institucional do TJDFT, de alguns pedidos de servidores. Entre eles, destacam-se casos de redução de jornada de trabalho para servidores que têm filhos com autismo grau 1 e 2, além daqueles diagnosticados com a condição.

Abdias Trajano ressaltou a necessidade de se obter esclarecimentos acerca dos critérios utilizados na recusa desses pedidos e o empenho do Sindjus em buscar entendimento com o Tribunal para solução desses casos. Nesse contexto, o Sindjus pleiteou tratamento igualitário para todos os autistas, independentemente do grau de suporte.

O coordenador-geral do Sindjus ainda pontuou que é desgastante para os servidores se verem obrigados a buscar o reconhecimento dessas demandas de forma judicial e pediu mais sensibilidade do TJDFT para atender esse pleito. “O servidor que vai à perícia já realizou várias sessões com neuropsicólogo, neurologistas e psiquiatra. Esse laudo não é obtido facilmente. É frustrante para ele a falta de reconhecimento pela administração da sua condição e mais frustrante ainda ter que recorrer à via judicial, enfrentando novos desgastes e demora”, declarou.

Todavia, Abdias Trajano reforçou que em última instância os servidores que são filiados poderão contar com o suporte judicial oferecido gratuitamente pelo Sindjus para sanar o problema.

Ainda durante a reunião, o Sindjus realizou convite ao secretário para o Encontro do Núcleo de Inclusão, que está programado para ser realizado em 2024. Tomaz de Aquino se comprometeu a avaliar as demandas apresentadas e buscar soluções para as questões levantadas durante a reunião.

Para mais informações sobre o Núcleo de Inclusão e sobre atendimento jurídico, entre em contato com o Sindjus pelo telefone (61) 3212-2613.

🔥242 Total de Visualizações