Sindjus cobra definição de pendências do TJDFT

Os coordenadores do Sindjus, Ana Paula Cusinato e Jalton Assis, se reuniram nesta quarta-feira (02) com o secretário-geral substituto do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Ricardo Rocha, para tratar de pendências que ficaram do ano de 2010.

Um dos principais assuntos conversados com o secretário foi o pagamento de passivos dos servidores que cumpriram o estágio probatório de três anos entre os anos de 98 e 2005. “Queremos que esse pagamento aconteça logo. Caso o Tribunal não possa pagar integralmente a todos os servidores, nossa prioridade é que seja feito o pagamento do mais antigo para o mais moderno”, disse o coordenador Jailton Assis. Rocha, disse que assim que o secretário titular regressasse ele tentará definir a melhor forma de efetuar esses pagamentos.

Outro tema conversado com Ricardo Rocha foi a adequação da jornada de trabalho dos assistentes sociais do TJDFT. Em agosto de 2010 foi sancionada a lei que determina carga horária de 30 horas semanais para essa categoria e, até hoje, esses servidores do tribunal não tiveram seus horários ajustados.

Durante a reunião os coordenadores também falaram sobre a falta de estacionamento seguro para os servidores do TJ e Ricardo Rocha garantiu que iria buscar soluções para todos os assuntos pautados no encontro.

🔥13 Total de Visualizações