Mais servidores adotam protesto contra reajuste zero

O primeiro dia de protesto dos servidores do STF pela aprovação do PL 6613/09 deixou claro que a categoria não vai aceitar reajuste zero, tampouco migalhas como paga de cinco anos de perdas salariais. A avaliação do ato de ontem (10), que visa mobilizar os servidores e os ministros do Supremo sobre a importância de se unirem, com todo empenho e garra, em prol da aprovação do nosso reajuste salarial, foi bastante positiva.

“Os servidores que participaram do protesto estão decididos a puxar um grande movimento em defesa do PL 6613 não só no STF, mas em todo o Judiciário. E o melhor é que a tendência é desse movimento crescer dia após dia, de forma sólida e contagiante. Os servidores estão de parabéns por essa iniciativa”, afirmou Berilo Leão. Durante o ato de ontem, cada servidor que participou se comprometeu a levar mais cinco hoje. Nesse ritmo, em breve o Supremo estará tomado pelo clima da mobilização.

E os servidores do STF terão companhia nessa onda de protestos. Durante assembleia setorial realizada ontem com servidores da JF e TRF, os presentes decidiram que a greve deve ser construída uma vez que ainda não há clima para implantá-la de imediato. Por isso, a exemplo do que vem acontecendo no Supremo, os servidores da Justiça Federal e do Tribunal Regional Federal vão se reunir diariamente para promover um trabalho de conscientização do servidor na mesma linha de “quem não está satisfeito, protesta” adotada no STF.

Esses protestos surgem em um momento fundamental, pois o Executivo tem se mostrado irredutível quanto à aprovação do PL 6613/09. Mesmo com todo o trabalho realizado junto a CMO, a base governista colocou o pé na parede e não aprovou emenda alguma que previa reajuste salarial para categorias do funcionalismo público. Como o líder do governo na Câmara, deputado Gilmar Machado, disse que o governo está disposto a continuar dialogando precisamos empurrar o Judiciário para essa negociação. Portanto, os protestos setoriais são fundamentais.

O relator-geral da LOA-2012, deputado Arlindo Chinaglia, também deixou claro que a negociação ainda está em aberto. No entanto, para que essa negociação tenha algum resultado concreto para nossa categoria precisamos nos mobilizar. Precisamos fazer com que os presidentes dos tribunais superiores trabalhem efetivamente pela viabilização do PL 6613/09 no Congresso Nacional. Só conseguiremos isso com o apoio de todos os servidores.

Hoje é a vez dos servidores do TRT-10 dizerem como vão ajudar a categoria na luta contra o reajuste zero. A assembleia será às 14h, no auditório Oswaldo Florêncio, no 2º andar. Fique atento ao calendário de atividades (atualizado constantemente em nosso site) e participe de corpo e alma de cada evento em defesa da valorização da nossa carreira.

🔥12 Total de Visualizações