Sindjus articula reunião entre Caixa e MPF para tratar da questão do Cruzeiro do Sul

O Sindjus, no dia 28, reuniu-se com representantes da Caixa Econômica Federal e do Ministério Público Federal para tratar da questão do Banco Cruzeiro do Sul, cuja liquidação decretada pelo Banco Central motivou servidores a migrarem seus empréstimos consignados para instituições bancárias que ofereçam mais segurança.

Não é de hoje que o sindicato se esforça para tentar resolver esse impasse que tem prejudicado muitos servidores, principalmente os que querem migrar para a Caixa Econômica Federal que, até então, não havia permitido essa portabilidade. Para muitos servidores, a Caixa se torna a solução mais adequada por conta do prazo maior.

Diante desse problema, o Sindjus se empenhou para levar a Caixa, por meio de seus representantes (Lucilaine Mitie, Iriosmar Freitas e Gabriel de Carvalho), até à administração, mais precisamente, até o secretário-adjunto de Gestão de Pessoas, Antônio Renato, que participou da reunião acompanhado de uma equipe técnica.

Depois de muito debate com a exposição de várias ideias, inclusive por parte do Sindjus, que tem defendido de forma veemente o interesse dos servidores, a Caixa Econômica Federal e a administração do MPF finalmente encontraram um caminho de viabilizar essa portabilidade de modo que a Caixa possa comprar as dívidas dos servidores.

Segundo a coordenadora Ana Paula Cusinato, essa questão está caminhando para uma solução, dependendo apenas do ajuste de alguns detalhes que serão agora encaminhados pelo próprio MPF e Caixa: “Embora vamos continuar acompanhando esse processo até que ele se resolva por completo, quero, desde já, agradecer à disposição da superintendente Lucilaine e dos demais gerentes da Caixa que atenderam ao pedido de Sindjus, compreendendo assim a urgência deste caso e também a atenção dispensada pelo secretário-adjunto, Antônio Renato, que não tem poupado esforços para resolver tal problema”.

O presidente da ASMPF, Marcos Ronaldo, também acompanhou a reunião.

Atenção

Mesmo com a portabilidade se concretizando, o servidor que verificar que o saldo devedor está alto demais deve marcar horário com o departamento jurídico do Sindjus para que as devidas providências sejam tomadas. Basta ligar no SAF (3212-2613) e escolher a opção do Jurídico.

Recordando

Importante recordar que o Sindjus, no início deste ano, contratou uma assessoria judicial especializada para cuidar desse tema; e, desde então, tem mantido conversas com a administração do MPF para encontrar uma saída para essa questão. O Sindjus procurou representantes do Banco Central e também do TCU para enfrentar, com mais propriedade, essa realidade. Desde o início, o Sindjus busca o envolvimento da administração do MPF neste caso para que seja trabalhada uma solução conjunta.

Endividamento

Por diversos fatores – inclusive a falta de uma política salarial para os servidores do MPU e do Judiciário, mas também a dificuldade de administração das finanças pessoais – o nível de endividamento está muito alto entre os filiados do Sindjus.

Além de retomar com força a mobilização da categoria em torno da valorização salarial com o objetivo de equiparar nossos salários às carreiras análogas que têm hoje salários muito maiores que os nossos, no próximo ano o sindicato irá promover cursos, palestras e atendimentos individualizados sobre o tema, para ajudar os filiados a superar o endividamento.

🔥16 Total de Visualizações