Falta de respeito aos grevistas de Brasília cancela assembleia desta quarta

O Sindjus convocou, de forma extraordinária, assembleia-geral para o início da tarde desta quarta-feira (10), para discutir a continuidade ou não da greve. Durante reunião ontem, o Comando de Greve indiciou a suspensão da greve e do ato desta quarta-feira à assembleia com votação de 50 votos favoráveis, 3 contrários e 4 abstenções.

No entanto, servidores que não estão em greve e também de servidores que entraram recentemente no movimento grevista, enfim, aqueles que não acompanharam as primeiras assembleias e a votação que decidiram que a direção tem a obrigação de chamar assembleia a qualquer tempo quando surgir qualquer fato novo que diga respeito à negociação ou a greve em si, pediram questão de ordem questionando a legitimidade da assembleia.

Dois fatos novos motivaram a convocação do Comando de Greve e Assembleia-Geral: a reunião com o presidente Lewandowski, que chamou o sindicato, a federação e o relator do PL 7920/14 na véspera de sua posse e o processo administrativo que está no TJDFT sobre o corte de ponto. A direção do Sindjus se comprometeu a ser transparente com a categoria e tem o dever de discutir tudo com os servidores.

Tumulto

Devido ao tumulto provocado pela invasão dos Estados que vaiaram, gritaram e até mesmo votaram numa total falta de respeito aos servidores de Brasília, que são aqueles que estão segurando a greve desde o início, enfrentando sol, policiamento ostensivo e até chuva, vários locais de trabalho, como os fóruns de Sobradinho, do Gama, de Brazlândia, do Leal Fagundes, e grande parcela de Taguatinga e do TJDFT-Sede resolveram regressar aos seus locais de trabalho.

Faltou civilidade e sobrou oportunismo por parte de quem não está fazendo a luta desde o dia 6 de agosto privilegiando discussões políticas internas em detrimento de uma estratégia para aprovar o reajuste da categoria. Os Estados não tem o direito de impedir a manifestação dos servidores de Brasília durante uma assembleia.

Calendário mantido

Diante desse cenário de tumulto e desrespeito, a direção do Sindjus cancelou a assembleia-geral mantendo o calendário aprovado na última semana, enviando transporte para o deslocamento dos servidores até a Praça dos Três Poderes na tarde desta quarta-feira, respeitando também a decisão coletiva daqueles que regressaram aos seus locais de trabalho.

Mantido o calendário, haverá ato nesta quinta (11) no STF e nova assembleia-geral, sexta-feira (12), às 15h, na Praça dos Tribunais (SAUS).

🔥18 Total de Visualizações