Governo manobra no Congresso temendo derrubada do Veto 26


Renan Calheiros convoca nova sessão para o dia 9/9, às 11h. Pressão continua!

Mais de 15 mil servidores do DF e de muitos estados concentraram-se na manhã desta quarta-feira (2/9), no gramado do Congresso Nacional em um grande ato para acompanhar a sessão de análise do Veto 26.

No final da manhã, diversos parlamentares aliados, como o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP) e o senador Randolfe Rodrigues (PSOL/AP), começaram a denunciar no Plenário da Câmara o movimento do governo de não pautar a ordem do dia, além de trabalhar para esvaziar e derrubar a sessão. Parlamentares que apoiam a derrubada do Veto 26 conclamaram os colegas para comparecer ao Plenário para que o quórum necessário (257 deputados e 41 senadores) fosse alcançado e os vetos pudessem ser apreciados.

O líder do governo José Guimarães (PT/CE), pedindo questão de ordem, solicitou a interrupção da sessão. Houve protestos e até bate-boca. O 1º vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP/MA), que estava na condução dos trabalhos, colocou em discussão a apreciação de um projeto de lei e durante as discussões, ainda com vários parlamentares inscritos, encerrou a sessão de forma repentina com o objetivo de evitar o alcance do quórum de deliberação.

Após a sessão ser encerrada, o Comando Nacional de Greve se reuniu e decidiu pela realização de uma marcha passando pelos Três Poderes e pela continuidade da pressão ao longo da tarde, inclusive fechando as pistas do Eixo Monumental na lateral do Senado.


Nova sessão

Uma comissão formada por deputados e senadores foi então até o presidente Renan Calheiros no intuito de pedir para que ele restabelecesse a sessão que foi encerrada violando o regimento. A sessão só poderia ser encerrada por falta de quórum para deliberação (faltavam apenas 3 senadores para alcançar o quórum) quando o projeto estivesse em votação e fosse pedida a verificação do quórum, jamais na fase de discussão como foi feito.

Pressionado por parlamentares defensores da nossa causa, por dirigentes e servidores que ocuparam o interior do Congresso e pelo Ato Nacional que se estendeu pela tarde toda, adentrando o começo da noite, Renan Calheiros, pouco antes das 20h, convocou nova sessão conjunta do Congresso Nacional para o dia 9 de setembro, às 11h.


Assembleia-Geral

O Sindjus convoca os servidores para a Assembleia-Geral, sexta-feira (4/9), às 15h, na Praça dos Tribunais, para deliberar sobre os próximos passos da nossa luta.







🔥6 Total de Visualizações