Na mesma linha do Sindjus-DF, Centrais Sindicais pedem união e mobilização contra PEC 287

O Sindjus-DF tem insistido que o momento é de união, de angariar o máximo de forças contrárias à Reforma da Previdência para fazer o devido enfrentamento ao governo Temer, que conta com a máquina pública, a grande mídia e o mercado financeiro. Temos que deixar de lado as bandeiras político-partidárias, esse divisionismo que não leva a lugar algum e centrar esforços no combate à PEC 287, cuja votação está prevista para o dia 20 de fevereiro.

Toda atitude no sentido de aumentar a pressão sobre os parlamentares é bem-vinda. Ainda há um percentual significativo de indecisos que precisa ser trabalhado. E temos mais chances de trazer esses deputados para o nosso lado se trabalharmos unidos. Afinal, os trabalhadores, independentemente se do setor público ou da iniciativa privada, precisam convergir seus esforços contra a dilapidação dos serviços públicos e da Previdência e a retirada de direitos.

Em reunião no dia 31 de janeiro, as centrais sindicais aprovaram uma Jornada Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência, marcando para dia 19 de fevereiro um Dia Nacional de Lutas. As centrais repudiaram a campanha enganosa do governo Michel Temer e frisaram que a unidade, a resistência e a luta serão fundamentais para barrarmos mais esse retrocesso. É a mesma linha já adotada pelo Sindjus-DF que trabalha em conjunto com associações de tribunais e ramos do MPU, bem como com outros sindicatos.

Com a palavra de ordem “Se botar pra votar, o Brasil vai parar”, as centrais orientam as bases a se mobilizarem realizando diversas atividades de conscientização sobre a reforma da Previdência e de pressão sobre os parlamentares. Importante destacar que o Sindjus-DF vem cumprindo intensa agenda de mobilização desde 2017, organizando e participando de inúmeras ações contra a PEC 287, prova disso é que o nosso sindicato tem sido referência no combate ao desmonte da Previdência.

A verdade é que nós temos um inimigo em comum – o governo que ataca de forma inconsequente e irresponsável um universo de trabalhadores, atacando um direito constitucional que deve cada vez mais ser garantido e não retirado. E, como já denunciado pelo Sindjus-DF em suas campanhas publicitárias, o governo Temer tira dos trabalhadores para dar ao mercado financeiro, aos sonegadores de impostos, aos grandes empresários, aos donos de imensas fortunas.

União e mobilização, essas são duas palavras que devem caminhar juntas na luta contra a PEC 287.

🔥7 Total de Visualizações