Sindjus-DF luta pela organização da Polícia Institucional do MP em reunião com Corregedor Nacional do CNMP

O diretor jurídico do Sindjus-DF, Igor Tobias Mariano, juntamente com o coordenador-geral da Agempu, Rogério Marques, e o agente de segurança do MP Márcio Martins, estiveram reunidos, na tarde desta terça-feira (27/7), com o Corregedor Nacional do CNMP, Rinaldo Reis Lima, para tratar da organização da Polícia Institucional do MP.

Essa tem sido uma das bandeiras de atuação do Sindjus-DF, que tem realizado diversas reuniões com o objetivo de garantir a valorização dos agentes de segurança do MP, além de permitir maior autonomia no exercício das funções.

O coordenador jurídico do Sindjus-DF deu início ao encontro trazendo um breve histórico sobre a organização da Polícia Judicial no âmbito do Poder Judiciário e os reflexos positivos da mudança para a motivação dos servidores e para a segurança dos Tribunais.

” Hoje somos um efetivo de mais de 6 mil agentes pelo país inteiro e esses servidores estão sendo mobilizados no rumo da qualificação e da especialização”, disse. “O que podemos testemunhar é que, para nós, tem funcionado muito bem e a perspectiva é cada vez melhor e mais animadora”, enalteceu Mariano.

Na avaliação do coordenador-geral da Agempu, hoje os agentes de segurança já atuam de forma similar aos agentes de polícia e o reconhecimento trará maior estabilidade no exercício das funções, para questões específicas como autuar em situações de necessidade e também pelo porte de arma.

“A gente visualiza um Ministério Público cada vez mais forte e atuante e, pelo princípio da simetria, o MP é o único que não tem polícia organizada. Precisamos trabalhar para que possamos fomentar hoje a polícia do futuro, que expresse a importância do MP”, ressaltou Rogério Marques.

Na avaliação do agente de segurança Márcio Martins, a ausência da organização institucional da polícia do MP traz também inúmeros prejuízos para os agentes que estão nos estados.

“Eu fui a diligências em lugares extremamente perigosos sem armas, sem sequer conseguir me defender. Um simples dispositivo daria mais segurança para todos”, defendeu.

O corregedor Rinaldo Reis Lima agradeceu a todos pela explanação e se disse favorável à organização. Na avaliação de Rinaldo Reis, a adequação se faz necessária. Ele solicitou ainda que os dirigentes buscassem o relator da proposta que trata da regulamentação e se comprometeu a apoiar o pleito.

🔥62 Total de Visualizações