Sindjus-DF realiza manifestação contra Reforma Administrativa em frente à Câmara dos Deputados

Dando continuidade à semana de mobilização contra a PEC 32/2020, que está na iminência de ser votada na comissão especial, o Sindjus-DF realizou ato na tarde desta terça-feira (14/09), em frente à Câmara dos Deputados. Os coordenadores do Sindjus-DF Costa Neto, Abdias Trajano e Cledo Vieira participaram da mobilização que deu um recado firme ao Congresso Nacional, demonstrando a insatisfação dos servidores que não aguentam mais essa política de ataques e descaso promovida pelo governo e por muitos parlamentares.

No entendimento do Sindjus-DF é importantíssima essa semana de pressão, pois caso a PEC 32/2020 passe pela comissão especial irá direto para o Plenário. E o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP/AL), já demonstrou interesse em votar essa matéria o quanto antes. O amplo debate já foi comprometido. Ainda não conhecemos os dados oficiais que embasaram essa proposta totalmente equivocada, que prega o Estado Mínimo. Então, é fundamental pressionar os membros da comissão pela rejeição total da proposta ou, no mínimo, que os danos sejam minimizados ao máximo.

“A Reforma Administrativa ataca os serviços e servidores públicos, trazendo consequências nefastas para o funcionalismo e para a população em geral. Combater esse mal é um dever de todos nós, que lutamos por serviços públicos fortes e pelo respeito à Constituição Federal. O Sindjus-DF tem sido um guerreiro incansável contra os ataques recebidos pelos servidores e vai continuar lutando nas mais variadas frentes pela rejeição dessa proposta que faz mal para o Brasil”, afirmou Costa Neto, coordenador-geral do Sindjus-DF.

As atividades de hoje começaram na parte da manhã no Aeroporto JK, onde os manifestantes receberam os parlamentares com faixas contrárias à Reforma Administrativa. Durante a tarde, os servidores se concentraram no Bloco C da Esplanada dos Ministérios e se deslocaram até a entrada do Anexo II da Câmara, que foi tomado por faixas e bandeiras do Sindjus-DF.

A reforma quebra a estabilidade tão crucial para o exercício de um serviço público de excelência, acaba com adicionais referentes a tempo de serviço, extingue aumento de remuneração ou de parcelas indenizatórias com efeitos retroativos, dentre outras mudanças que desvalorizam os servidores e comprometem a qualidade dos servidores públicos.

“Temos ao nosso favor a proximidade das eleições de 2022, pois o parlamentar que votar a favor da Reforma Administrativa não será esquecido pelo funcionalismo e colherá os resultados dessa traição nas urnas. Os servidores precisam se unir e sair às ruas exigindo a rejeição da PEC 32/2020. O Sindjus-DF continuará lutando até o fim! Ainda há esperanças de virarmos esse jogo, mas, para isso acontecer, precisamos de todos lutando juntos”, garantiu Costa Neto.

🔥58 Total de Visualizações