Todos à Câmara nesta quarta (29), a partir das 9h. Sindjus-DF segue na luta para derrotar a PEC 32

Embalados por essa onda de mobilização intensa contra a PEC 32 que tem norteado nosso trabalho, o Sindjus-DF convoca novamente os servidores do Poder Judiciário e do MPU para novo ato em frente à Câmara dos Deputados (Anexo II). Nesta quarta-feira (29/9), às 9h, daremos prosseguimento oficial ao movimento de resistência contra a Reforma Administrativa. Compareça e fortaleça a nossa ação. É importante que participemos ativamente. Não podemos cair em discursos falaciosos: a PEC 32 afeta a todos, prejudicando atuais e futuros servidores.

Mobilização contínua

O Sindjus-DF realizou na tarde desta terça-feira (28/09), em frente à Câmara dos Deputados, mais um ato contra a PEC 32. Além das tradicionais faixas e bandeiras, e da banda que tem sido bastante elogiada e contagiado a todos pela sua animação, o Sindjus-DF, em parceria com o Sindilegis, inovou fazendo uso de um caminhão com telão de LED, que ficou o tempo todo transmitindo o material da nossa luta contra a Reforma Administrativa.

O caminhão se transformou numa espécie de cinema exibindo a cara dos deputados que votaram a favor da PEC 32 na comissão especial com a mensagem: votou contra o servidor não volta! Muita pressão!!!

Para agradecer àqueles que votaram contra a PEC 32, a favor dos servidores e em defesa do serviço público, foram veiculados os nomes e fotos dos Deputados com a frase “votou a favor do servidor volta!. Além disso, o caminhão fez as vezes de trio elétrico trazendo os clips com os hits da nossa luta. Fotos e vídeos de atos, bem como outras peças de campanhas de enfrentamento a essa reforma também fizeram parte desse show que chamou bastante atenção.

“Sem dúvida, os deputados estão se sentindo cada vez mais pressionados. Nosso movimento está dando certo. Precisamos seguir firmes nessa empreitada que tem como objetivo final barrar a PEC do Mal, que vem assombrando não só os servidores, mas o próprio governo. Muitos deputados da base governista estão incomodados com o texto e assustados com a repercussão dessa votação nas urnas de 2022. Afinal, se votar contra o serviço público, não volta!”, afirmou Costa Neto, coordenador-geral do Sindjus-DF.

🔥27 Total de Visualizações