Servidores em greve param o trânsito e comemoram os 21 anos do Sindjus

Segundo dia de greve. Dessa vez os servidores pararam o eixo monumental na altura da Praça dos Três Poderes, mostrando que o movimento da categoria está cada vez maior. Os manifestantes sentaram na pista e gritaram para todos ouvirem: “Servidores na rua! Peluso, a culpa é sua!”

Foi assim que, nesta quarta-feira, dia 25, o Sindjus completou 21 anos de representação da categoria: com um ato forte, movimentado, que já está chamando a atenção da população e das autoridades. “Vinte e um anos representa a maturidade desta entidade. O Sindjus amadurece mas não perde a energia, a garra, a disposição de luta”, comemorou a diretora Sheila Tinoco.

“Hoje Policarpo me ligou às 8h da manhã emocionado por comemorar mais um ano desta entidade. Ele me disse que passaria o dia em contato com os presidentes de tribunais e de associações de juízes, na tentativa de fortalecer a nossa luta”, informou Sheila aos servidores que sentiam a falta do nosso dirigente de honra. “Pela primeira vez em tantos anos ele não pode estar aqui de corpo presente, mas está junto conosco nesse dia simbólico”, completou a diretora.

Durante o ato, o coordenador-geral do Sindjus Berilo Leão e o deputado Policarpo tentaram uma audiência com o diretor-geral do Supremo Tribunal Federal, Alcides Diniz, que estava em sessão de julgamento e não pode receber os representantes da categoria. Os servidores foram para a frente do STF mostrar sua presença buzinando, apitando, batendo panelas, empunhando bandeiras e pedindo que se abram as negociações. “Estamos mostrando que a paciência da categoria acabou e que nós queremos resultados. Não é mais impaciência, não é mais indignação. Já estamos chegando à raiva, porque é muito tempo sem uma resposta das autoridades”, disse Berilo.

Atos vão continuar

Após cantar parabéns para o Sindjus em torno de um grande bolo, os servidores começaram a se preparar para as manifestações desta quinta-feira (26). A concentração será às 15h no Palácio do Planalto e de lá a categoria sairá em uma grande marcha até o Ministério do Planejamento. “Vamos ampliar a nossa participação amanhã. Queremos nos concentrar no Palácio do Planalto para mais uma vez chamar a atenção e mostrar à presidenta Dilma que a categoria exige uma resposta do governo, do Judiciário e do ministro Peluso. Vamos forçar uma interlocução e mostrar a nossa indignação a todas as autoridades”, afirmou Berilo Leão.

🔥24 Total de Visualizações