Comissão eleitoral é eleita em assembleia lotada

Em assembleia realizada na noite de ontem (15), no prédio do TST, os servidores do Judiciário e do Ministério Público elegeram os servidores Janedir (TST), Paulo Henrique (TJDFT), Alcides (STJ), Serginho (TSE), Chicão (TJDFT) e Joaquim (STJ) para conduzir o processo eleitoral 2012/2015 do Sindjus.

A assembleia foi iniciada com os informes relativos à tramitação do PCCR. Jailton Assis, coordenador do Sindjus, deu os detalhes da sessão da Comissão de Finanças e Tributação (CFT) ocorrida na última quarta e falou sobre o temor dos deputados governistas em relação à pressão da categoria, que já impediu a continuidade da primeira reunião da Comissão em 2012 e pode continuar impedindo a votação de projetos de interesse do governo. Jailton finalizou convocando todos os servidores a lotar o auditório do Plenário 4, da Câmara dos Deputados, na próxima quarta, a partir das 9h30, para dar prosseguimento à pressão sobre a CFT.

Jailton também informou sobre a grande iniciativa dos novos servidores do TJDF em prol da movimentação extraordinária, que tende a ganhar os demais tribunais. Em seguida, passou-se para a pauta da assembleia: eleição da comissão eleitoral. O servidor Eldo levantou questão de ordem e pediu que a comissão eleitoral fosse eleita considerando a representação de todas as chapas que concorrerão ao sindicato.

O advogado do Sindjus Renato Borges Barros, do escritório Ibaneis Rocha, convidado a se pronunciar sob a ótica do Estatuto do Sindjus, informou que, de acordo com o artigo 56, “o processo eleitoral será coordenado e conduzido por uma comissão eleitoral composta por três membros efetivos e três suplentes, preferencialmente integrantes da categoria, eleitos em assembleia geral”, não prevendo, nesse momento, portanto, a indicação das representações das chapas.

Renato esclareceu que a indicação dos representantes das chapas ocorrerá em outro momento, previsto no parágrafo 1º do mesmo artigo. “Além disso, a inscrição de chapas tem previsão de início a partir do dia 16/03, de acordo com o edital publicado, e não há, portanto, como saber quantas chapas se inscreverão para compor a nova diretoria, sendo totalmente descabida essa questão de ordem”, completou Renato.

Após essas considerações, a mesa passou a receber as relações de candidatos para a comissão eleitoral. Recebidas duas listas, iniciou-se a votação. A lista composta por Janedir (TST), Paulo Henrique (TJDFT), Alcides (STJ), Serginho (TSE), Chicão (TJDFT) e Joaquim (STJ) recebeu 201 votos. A outra lista recebeu 149 votos.

Ao defender a lista que compunha, Janedir afirmou que seu compromisso será defender a lisura do processo eleitoral de forma imparcial, à luz do que determina o Estatuto Social do Sindjus. Após sua eleição, disse que a categoria é muito esclarecida e que os votos que receberam decorrem do entendimento dos servidores de que a comissão eleitoral não pode ter chapa. “Todos os que estão aqui reunidos têm interesse em defender nossa categoria e nossa entidade. Não podemos deixar que divergências pontuais ou temporais nos afastem desse interesse maior. Da parte da comissão eleita, podem ficar certos de que agiremos com total isenção, responsabilidade e respeito ao Estatuto”, declarou Janedir.

A partir de hoje (16/3) começa a ser contado o prazo para a inscrição de chapas.

🔥15 Total de Visualizações